Tradicionais tapetes de Corpus Christi decoram ruas de Barra Mansa

0

BARRA MANSA

Nessa quinta-feira, dia 20, aconteceram as celebrações de Corpus Christi, organizada por paróquias. Vários fiéis da igreja católica acordaram bem cedo para começar a montar os tradicionais tapetes. O A VOZ DA CIDADE esteve presente na Igreja Matriz de São Sebastião, no Centro, na Igreja Santo Antônio de Pádua, em Saudade, e, em Floriano na Igreja do Sagrado Coração de Jesus. Segundo os organizadores, a confecção é feita com pó de café, serragem, pó colorido, cartazes, casca de ovo, tampas de garrafa pet, entre outros materiais.

De acordo com a coordenadora de catequese paróquia de São Sebastião, Cecília Pacheco, o tapete é uma tradição milenar. “Desde que começou a festa, existe o costume de enfeitar as ruas por onde Jesus irá passar. As pessoas das comunidades se juntam para enfeitar”, relatou, contando que há mais de dez anos ela participa da montagem dos tapetes e que cada comunidade catequética prepara uma parte do tapete de sua maneira.

Igreja Matriz de São Sebastião – Foto Fábio Guimas

O padre da Igreja Santo Antônio de Pádua, Deivi Santana de Oliveira, relatou que 17 comunidades de Barra Mansa participam da fraternidade desse ano. Ele ainda explicou que foram divididos temas específicos para expressar a arte no chão. “Temos temas como saúde, paz, questão racial, segurança no trabalho e sobre as mulheres”, disse, completando que cada parte é preparada de acordo com a criatividade dos grupos.

Igreja Santo Antônio de Pádua, em Saudade – Foto Fábio Guimas

Segundo o organizador da confecção do tapete em Floriano, Ednei Egalon Pereira, na noite de quarta-feira começaram as marcações no chão para logo às 7 horas serem iniciados os desenhos. “Sempre conseguimos doação da serragem, mas este ano tivemos que comprar. Fazemos um planejamento quatro meses antes para que não falte nada. É muito trabalhoso, mas vale apena”, disse satisfeito.

Igreja do Sagrado Coração de Jesus, Floriano – Foto Fábio Guimas

Grande parte das pessoas que participava das confecções do tapete era crianças e jovens, que além de exercer sua fé, se divertia e confraternizava. De acordo com a coroinha da Igreja Matriz, Ana Beatriz Silva, de 15 anos, ela ajuda na confecção dos tapetes desde os 13 anos. “É uma coisa maravilhosa, pois nos juntamos com os amigos, é um ajudando o outro e a gente também se diverte”, concluiu.

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !