Total de inadimplentes sofre queda de 1,5% em agosto, afirma CNDL

0

SUL FLUMINENSE

O total de inadimplentes no Brasil diminuiu em agosto deste ano em comparação ao mesmo período de 2019. De acordo com levantamento da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), o número de pessoas com contas em atraso teve queda de 1,5%. A análise mostra que a faixa etária com maior número de devedores é de 30 a 39 anos (24,8%), sendo em sua maioria mulheres (50,5%).

De acordo com o SPC Brasil, em agosto, cada consumidor negativado devia R$ 3.280,50 na soma de todas as dívidas. E que aproximadamente quatro em cada dez inadimplentes tinham dívidas de até R$ 500. Quanto à evolução das dívidas em atraso, houve queda de -4,7% em relação ao mesmo período no ano anterior e, na passagem de julho para agosto, o número de dívidas apresentou uma redução de -1,4% nos débitos. “Em termos de participação, o setor bancário é o que concentra a maior parte das dívidas, com 52% do total. Já o Comércio aparece com 17% e o de Comunicações com 12%”, aponta Roque Pellizzaro Junior, presidente do SPC Brasil, frisando que alguns setores sofreram um forte crescimento de dívidas, como as relacionadas aos serviços de água e luz com alta de 17%.

Observando os resultados por região, o Sudeste apresentou queda de -1,8% e na abertura por região em relação ao número de dívidas, a retração no Sudeste ficou com -5,3%.

Outro dado analisado pela CNDL/SPC demonstra que o número de empresas inadimplentes do Brasil teve queda de -4,8% em agosto de 2020 em relação ao mesmo período em 2019. Na passagem de julho para agosto, o número de empresas devedoras caiu -0,28%. A queda do indicador anual se concentrou na diminuição de empresas devedoras do setor de Comércio (-9,74%) e Indústria (-5,96%).

No Sul Fluminense, o empresário Ricardo da Silva obteve novamente as licenças de sua empresa após quitar despesas e impostos. “A crise prejudica todos os setores, o mundo todo. Comigo não foi diferente. Regularizei a situação em meados de julho para agosto. Está tudo em dia, foram 14 meses inadimplente e com as linhas de crédito do governo consegui empréstimos para retomar a atividade colocando fim a dívida de R$ 29 mil. Espero que o país engrene e essa pandemia acabe de vez e 2021 seja um ano mais seguro”, comenta.

Ainda segundo a análise da CNDL/SPC, observando a abertura por setor, o número de devedores com participação mais expressiva em agosto foi o de Comércio (42,72%), seguido de Serviços (42,67%). Em agosto, cada empresa negativada devia, em média, R$ 5.520. Considerando todas essas dívidas, cada empresa inadimplente devia, em média, para 1,77 empresas credoras. Os dados ainda mostram que quatro em cada dez empresas tinham dívidas de valor de até R$ 1 mil.

error: Conteúdo protegido !