Tiago Forastieri faz balanço de mandato que tem como frentes de trabalho acessibilidade e educação

0

RESENDE

Um vereador de posição, não de oposição. Assim se define Tiago Forastieri (PSC). Em seu segundo mandato, o parlamentar procurou o A VOZ DA CIDADE para fazer um balanço do seu trabalho nessa última legislatura, que começou em 2017 e segue até o ano que vem. Tem como bandeira a acessibilidade e educação/inclusão digital, mas conta que atua em diversas frentes, por considerar a população como peça fundamental para seu trabalho, que é fiscalizar o Poder Público. “Sempre voto no Legislativo pelo o que considero bom para população, sempre luto por causas para a população ser beneficiada”, citou.

Tiago Forastieri foi eleito em seu primeiro mandato com 735 votos, reeleito com 1.086, em 2016. Será pré-candidato nas próximas eleições por entender que tem ainda muito mais a oferecer no Legislativo. Em dois mandatos, foi autor de 23 leis e resoluções em vigor, além de muitas outras indicações, requerimentos e pedidos para realização de audiências públicas. Cinco projetos de lei ainda tramitam pelo Legislativo até o momento.

Dentre suas bandeiras, citou a acessibilidade.  Contou que é uma causa que abraçou antes de ser eleito por identificar que deveria ser uma de suas lutas na câmara. “Foi uma identificação, no coração”, resumiu. Dentre as leis voltadas para acessibilidade citou a já sancionada de número 3.406, de 2018, que obriga a inclusão do símbolo do transtorno do espectro autista nas placas ou avisos de atendimento prioritário em locais públicos e particulares de atendimento ao público. “Embora em vigor, a prefeitura não se mobiliza para que a lei seja de fato respeitada. Tenho feito trabalho nas ruas e entregando ofícios informando sobre a existência da lei em supermercados, lojas, bancos e outros estabelecimentos. Está sendo muito bem aceito”, informou, frisando que a demanda para a elaboração da lei veio dos pais de autistas. “É uma determinação para atendimento preferencial também para quem está com autistas, assim como funciona para gestantes, idosos e deficientes”, completou o vereador.

Paralelo a essa lei, existe a criação da Carteira do Autista, que tramita no Legislativo, que vem dar mais legitimidade a ação de atendimento preferencial. Uma comprovação de que essas pessoas podem usufruir do atendimento preferencial.

A mobilidade urbana, voltada para pessoas com deficiências, é outro pleito de Tiago Forastieri. Ele é autor de diversos requerimentos e indicações solicitando soluções para calçadas e acessos a prédios públicos em Resende que não estão em condições de uso para deficientes ou idosos. Recentemente, o Ministério Público solicitou obras de adequação por parte da prefeitura em vias e prédios públicos para garantir acessibilidade. A decisão é de agosto e o prazo para a prefeitura cumprir é de seis meses.

EDUCAÇÃO

Na educação e inclusão digital, outras bandeiras do vereador, citou a conquista de levar o Cederj para novo prédio em 2014. Atualmente ele funciona juntamente com a Faetec e o Ceja. Disse ainda que conseguiu a vinda de um novo curso, que é o de Engenharia de Produção e o aumento de oferta de vagas da UERJ.

EMENDAS IMPOSITIVAS

É de autoria de Forastieri, a lei que criou na Câmara de Resende o Orçamento Impositivo, onde os vereadores destinam 1,2% do valor total do orçamento para determinados setores, sendo que 50% tem que ser obrigatoriamente para a saúde e o valor não pode ser usado para pagamento de pessoal. Tiago contou que foi um projeto de lei federal, mas que apenas Resende, das cidades da região, desenvolve. É uma obrigação do Poder Público atender aos pedidos, caso isso não seja possível, o prefeito em exercício precisa informar o motivo e o parlamentar destinar novo local para receber a verba. Isso existe em Resende desde 2016.

Como é obrigação que 50% das emendas sejam destinadas para a saúde, o vereador tornou também sua obrigação destinar o restante para quatro instituições de Resende que lidam com a causa dos deficientes. São elas: Gente Eficiente, Semear, Rompendo o Silêncio e Cedevir (criado após indicação do vereador em 2014). No ano de 2018 destinou R$ 107 mil para essas instituições e em 2019 R$ 80 mil. Para o orçamento de 2020, que ainda não foi votado, o vereador diz que cada vereador poderá destinar R$ 323 mil de emendas impositivas, metade disso irá para instituições mencionadas. A outra metade, na área da saúde, o vereador pretende destinar parte para os profissionais de radiologia.

Nos anos anteriores, Forastieri destinou para a saúde as seguintes emendas: R$ 110 mil para compra de cadeiras de rodas que a prefeitura não cumpriu em 2017 e que a situação está em análise no TCE; reformas do Posto de Saúde da Capelinha, do Centro Municipal de Reabilitação e o restante para realização de cirurgias de cataratas e exames de ressonância magnética – todas em 2018; e neste ano compra de equipamentos odontológicos, um compromisso de campanha do parlamentar.

MANDATO PARTICIPATIVO

Além das bandeiras do vereador, Tiago ainda citou que tem outros trabalhos a medida que a população pede sua ajuda. Disse que seu mandato é participativo por entender que essa parceria com a comunidade é o que o direciona para as ações realizadas.

Lembrou que as lutas para melhorias no Rio Sesmaria também são alvos de ações realizadas por ele, citando as obras de contenção realizadas em 2011.

 

 

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !