Suspeitos de aplicar golpes e extorquir vítimas em Volta Redonda são presos

0

VOLTA REDONDA

(MPE). Eles são suspeitos de aplicar golpes e extorquir várias pessoas residentes no município.

Segundo informações da polícia, a operação está sendo realizada em sigilo para não atrapalhar as investigações, que seguem, já que muitas denúncias ainda estão sendo investigadas. Sabe-se apenas que o crime atribuído aos dois presos envolve terrenos, já que golpes eram aplicados nas vítimas. E de acordo com as investigações, quando as vítimas percebiam os golpes e tentavam reaver o que havia perdido, eram ameaçados pelos dois suspeitos.

Vale lembrar que o comerciante e o PM tiveram prisão preventiva decretada pelo juiz da 2ª Vara Criminal de Volta Redonda, Cláudio Gonçalves Alves. Além disso, o juiz decretou também mandado de busca e apreensão na casa de Christian, em Volta Redonda, onde foi apreendida uma pistola, calibre 380.

O comerciante, que foi o pivô das prisões de três policiais civis da 93ª DP, em dezembro de 2014, durante a “Operação Cocite” da Polícia Federal (PF), teria acusado os agentes de extorqui-lo. Os policiais, que há um ano foram liberados da prisão, ainda respondem o processo em liberdade.

O Ministério Público (MP), na ocasião, informou que os agentes atuavam nos mercados populares da Avenida Amaral Peixoto, no Centro, e no bairro Vila Santa Cecília. Ainda conforme denuncia do MP,  os agentes recebiam propina de comerciantes para permitir a venda de produtos piratas nos estabelecimentos.

Na ocasião da operação, o então delegado titular da 93ª DP, Antônio Furtado, se reuniu com a imprensa local para uma coletiva onde declarou que os três policiais que haviam sido presos na operação foram vítimas de vingança do comerciante. Lembrou na ocasião que os inspetores havia prendido o comerciante, em 2011, sob suspeita de envolvimento com tráfico de drogas, crime do qual ele foi absolvido na época Em maio de 2016, ele foi preso por policiais do Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv), próximo a Engenheiro Pedreira, o distrito de Japeri, na Baixada Fluminense. O comerciante estava no em um Hyundai HB-20 branco, junto com outro homem. Eles foram levados para a 45ª DP, de Seropédica e autuados por falsificação de documentos e respondem em liberdade.