Suspeito de agredir e matar mulher grávida é preso em Barra Mansa

2

BARRA MANSA

Hoje pela manhã, os agentes da Polícia Civil, em cumprimento de mandado de prisão, prenderam Oberdan Gonçalves Braga, de 45 anos. Ele é suspeito de ter agredido a companheira, que estava grávida de 27 semanas. Maria Edjane de Lima, de 35 anos, morreu na madrugada de terça-feira, no Hospital da Mulher após um parto prematuro. Oberdan foi indiciado pelo crime de lesão corporal seguida de morte. A ocorrência foi conduzida desde seu início pela Polícia Civil, que diligenciou ao hospital logo após tomar ciência da morte da vítima e das suspeitas de agressão física. Após reunir provas do crime e da autoria delitiva, o delegado de polícia representou pela prisão preventiva do criminoso. A autoridade judicial deferiu a medida e policiais civis da 90ª Delegacia de Polícia (DP) cumpriram o mandado.

O CASO

A Secretaria de Saúde de Barra Mansa, por meio da direção médica do Hospital da Mulher, informou que uma grávida, deu entrada na unidade, na última segunda-feira, dia 4 de março, apresentando quadro de sangramento em decorrência de um descolamento de placenta. “A paciente foi encaminhada ao hospital por uma vizinha, que na ocasião, informou que ela havia se desentendido com o companheiro, e que o mesmo teria a agredido fisicamente, caracterizando violência contra a mulher. Essa afirmação foi confirmada pela paciente durante a consulta com a médica que a atendeu no hospital”, informou a prefeitura, por meio de nota.

Segundo o Hospital da Mulher, a paciente foi examinada e imediatamente encaminhada para um procedimento cirúrgico de cesariana. O bebê nasceu prematuro, de 27 semanas, e está na UTI Neonatal do próprio HM. Porém, a paciente veio a óbito.

Ao dar entrada no HM, a vizinha também informou que a vítima, durante o período de gestação, não teria realizado os exames de pré-natal. “O HM afirmou que a equipe médica fez todo o possível para salvar mãe e filho, no entanto a paciente faleceu ainda no Centro Cirúrgico. O corpo da vítima foi encaminhado para o IML (Instituto Médico Legal) de Três Poços (VR) para verificação da causa da morte e emissão do atestado de óbito e, após esse procedimento será liberado para que a família realize o sepultamento”. completou a nota enviada à imprensa.

A paciente, ainda segundo informações da vizinha, era natural de João Pessoa. Ela teria conhecido o companheiro através das redes sociais, vindo para o município, onde engravidou. O caso foi registrado na 90ª Delegacia de Policia de Barra Mansa, onde está sendo investigando.

2 Comentários

    • Carolina, boa noite!

      Aceitamos sua opinião, porém ele será suspeito até que seja julgado e condenado por um juiz. Se o jornal colocá-lo como culpado sofreremos um processo mesmo que após isso, ele seja realmente culpado e condenado pela Justiça. Está na lei e temos que respeitar.