Suposto autor de tentativa de homicídio no Centro é preso em ação rápida da PM e GM, em Barra Mansa

1

BARRA MANSA

Um homem, não identificado, foi preso na noite de ontem após rápida ação da Polícia Militar e da Guarda Municipal, na Avenida Beira Rio, no Centro. Munidos de informações de uma suposta tentativa de homicídio, o capitão Alcimar Videira, da 2ª Cia. do 28° Batalhão da Polícia Militar e comandante Joel Valcir, da Guarda Municipal, fecharam cerco e localizaram o suspeito minutos depois do crime.

Segundo informações obtidas pelo A VOZ DA CIDADE, os agentes receberam informações de dois homens brigando na Beira Rio, próximo ao Parque Centenário, e deslocaram suas viaturas ao local, onde encontraram a vítima já ferida. Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) encaminhou o homem para a Santa Casa, e seu estado de saúde é estável. Antes de ser levado ao hospital, ele informou aos agentes que o autor da facada tinha saído andando em direção ao Parque Centenário (Jardim da Preguiça). Com descrição do suposto autor, os policiais conseguiram logo alcança-lo, e após revista encontraram o suposto objeto usado no crime.

O ferido foi identificado como José Carlos da Silva, de 26 anos. Segundo uma fonte do A VOZ DA CIDADE, ele e o autor da tentativa são moradores de rua e usuários de drogas (crack) e teriam começado uma briga, onde o suspeito arrancou uma faca e atingiu a vítima. José Carlos teve um ferimento superficial em um dos braços.

O autor da tentativa de homicídio foi encaminhado para a 90ª Delegacia de Polícia, onde o caso foi registrado e ele permanece preso.

PRESENÇA

O comerciante Roberto Marques, de 56 anos, comenta que a importunação dos moradores de rua era maior pelo Centro, principalmente no Ano Bom, mas explicou que de uns tempos para cá a presença diminuiu. “Eles continuam por aí, mas os grupos estão se dispersando com a presença da polícia e eles têm evitado parar por muito tempo em um local, principalmente os mais agitados. Por aqui tem muito daqueles já com mais idades, sempre dormindo. Os mais ‘intensos’ vivem por aí, arrumando confusão entre eles, mas dão medo”, comentou.

Os policiais militares, civis (sob comando do delegado titular da 90ª DP, Ronaldo Aparecido) e guardas municipais têm reforçado os trabalhos de segurança e patrulhamento pela cidade após inúmeras queixas de excesso de moradores de rua no local, que inclusive estariam importunando comerciantes e pedestres. As autoridades pedem que a população ajude no trabalho da polícia, informando caso haja algum tipo de problema onde os mesmos se encontram, ou se houver alguma suspeita de movimentação de qualquer droga ilícita. Só poderá acontecer prisão do individuo mediante a flagrante, caso contrário, se nada contra o mesmo for encontrado, ele será convidado a se encaminhar até unidades da prefeitura que contribuem com trabalhos sociais para ajudá-lo ou remanejá-lo para as sua cidade de origem, caso haja necessidade. Por isso, a polícia ressalta que não se deve dar esmola e denunciar ao 190 qualquer atitude suspeita.

NÃO DAR ESMOLAS

A Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos, através do Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua (Centro-POP), realiza uma campanha de conscientização para não dar esmola para as pessoas que vivem nas ruas. Através das panfletagens periódicas nos maiores centros de circulação, a instituição orienta que, quem tem o interesse de ajudar, entre em contato com o Centro-POP pelo telefone (24) 3324-1486, e informe sobre a situação.

De janeiro a agosto, o Centro-POP realizou 1.440 atendimentos, e 450 abordagens de rua. Além da alimentação e higiene pessoal, a instituição oferece serviços de convivência diária, realiza a retirada de documentos, programas sociais, oficinas de aprendizagem, cidadania e elaboração de currículos para ajudar a inserir a pessoa em situação de rua no mercado de trabalho. Tudo com a finalidade de assegurar atendimento e atividades direcionadas para o desenvolvimento de sociabilidade, fortalecer os vínculos interpessoais e familiares, e dar a oportunidade da construção de um novo projeto de vida para este indivíduo.

Segundo a secretária da pasta, Ruth Coutinho, esses indivíduos são migrantes de diversas regiões e que acabam se estabelecendo na cidade. “Geralmente o que leva essas pessoas para as ruas é consequência de conflitos familiares, desemprego, transtorno mental, e, na maioria das vezes, o uso abusivo de álcool e outras drogas”, completou dizendo que, a melhor forma de ajudar é entrar em contato com a equipe.

De acordo com a coordenadora do Centro-Pop, Edilene Moreira, a esmola oferecida a essas pessoas prejudica o trabalho feito pela instituição. “Existem comércios e pessoas que dão comida e dinheiro para quem vive na rua, e isso não ajuda que eles mudem de hábitos. Na verdade eles se acomodam a viver assim e isso se torna um vício”, afirmou.

E ainda de acordo com Ruth Coutinho, a questão da população de rua não é só de responsabilidade da Secretaria de Assistência, mas desrespeito a todas as políticas públicas.

Abrigo Municipal

O Centro Pop está situado na Rua Alameda Vanazzi, 60, bairro Ano Bom, e atende se segunda à sexta-feira, de 8 às 17 horas. Para o pernoite, os moradores são encaminhados para os abrigos que existem na cidade como Lar de Jesus, Lar de Maria e SOS.

 

1 comentário

  1. Morador de rua é uma coisa bandido é outra a maioria já tem passagem na polícia e ficam roubando e ameaçando principalmente os pedestres.A PM não faz nada.Está na hora da população agir e tirar esse pessoal de circulação.

Deixe um Comentário

error: Conteúdo protegido !