Superintendência de Saúde faz abordagens de pessoa em situação de rua em Resende

0

RESENDE

A Superintendência de Saúde Mental, vinculada à Secretaria Municipal de Saúde retomou com os trabalhos do Centro de Atenção Psicossocial em Álcool e outras drogas (CAPS Ad), com as abordagens in loco para as pessoas que estão em situação de rua e/ou fazem o espaço da rua como cena de uso de substâncias psicoativas. Neste primeiro momento, a ação tem o envolvimento apenas do CAPS, futuramente terá o apoio da equipe do Consultório na Rua (CNAR).

As abordagens das equipes do Centro de Atenção Psicossocial em Álcool e outras drogas tiveram que ser paralisadas em maio de 2020, devido à pandemia da Covid-19 e retornaram no final do mês passado. As abordagens noturnas já estão acontecendo duas vezes por semana, às segundas e quartas-feiras, das 18 às 20 horas. O objetivo desta ação é oferecer atendimento e atenção psicossocial para o público, além de mostrar ações de prevenção ao uso prejudicial de álcool e outras drogas.

Nas abordagens são atendidas as demandas e o público-alvo desta iniciativa recebe orientações, propostas e tem as dúvidas sobre o CAPS Ad atendidas. Os profissionais constroem vínculos com os usuários e oferecem serviços de saúde com foco nos assuntos psicossociais. Os usuários têm a opção de procurar o CAPS Ad para atendimento e outros preferem ser acompanhados pela equipe da abordagem. “Devido à pandemia, tivemos que parar com nossas abordagens e retornamos agora em julho, sempre no período da noite, duas vezes por semana. Nesse momento, as abordagens são feitas apenas com a equipe do CAPS Ad para identificar as cenas de uso do território de Resende e as pessoas que já são acompanhadas. Mas em breve a ação será em conjunto com o Consultório na Rua”, disse a superintendente de Saúde Mental, Daniele Barreto, informando que aquelas pessoas que não são assistidas estão sendo realizadas fichas para iniciar o acompanhamento in loco pela abordagem. “Estamos identificando que muitos possuem residências e fazem o espaço na rua como cena de uso prejudicial de substâncias psicoativas. As equipes estão construindo um mapa falante esquematizando as demandas e estratégias de atendimento para cada um que for identificado como potencial acompanhamento. Estas abordagens são importantes para a promoção e prevenção em saúde, além de promover o acesso desta população ao CAPS”, frisou a superintendente.

Vale destacar que devido à pandemia todos os cuidados necessários para a prevenção à Covid-19 estão sendo realizados durante as abordagens. A Secretaria Municipal de Saúde distribuiu aos profissionais de Saúde Mental os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para garantir a proteção da equipe. Nestas abordagens as equipes também distribuem panfletos informativos sobre os serviços.

error: Conteúdo protegido !