Firjan: Sul Fluminense terá R$ 12,4 bilhões em investimentos

0

VOLTA REDONDA

A partir do estudo feito pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), indicando que R$ 162,3 bilhões serão injetados no Estado do Rio de Janeiro nos próximos anos, montante a ser distribuído entre 111 projetos que estão em andamento ou prestes a serem iniciados em todos os setores, a região Sul Fluminense vai concentrar R$ 12,4 bilhões – a terceira maior parte do montante, ficando atrás apenas do Norte e da Baixada Fluminense.

O maior destaque está voltado ao setor de Petróleo e Gás Natural, que, sozinho, receberá R$ 10,7 bilhões, o equivalente a 86% do volume total de investimentos para a região Sul. As maiores iniciativas envolvem a construção de duas unidades estacionárias de produção para os campos de Sépia e Libra, em Angra dos Reis. Há ainda os investimentos em Resende para aumento de capacidade na indústria automotiva e desenvolvimento de novos produtos direcionados a países emergentes nas empresas Nissan e MAN Latin America, em Resende. Outro destaque fica por conta dos projetos que hoje se encontram paralisados também na região. Devem ser injetados R$ 14,6 bilhões em projetos de obras de infraestrutura, como a construção da usina nuclear de Angra 3.

Na visão do presidente da Firjan Sul Fluminense, Antônio Carlos Vilela, os números divulgados pelo estudo representam a retomada da economia e da própria confiança dos empresários. “Quando esse tipo de investimento é sinalizado, acontece um estimulo de mercado. Respinga no dono do hotel em Angra, no proprietário do comércio em Resende e por aí vai. É a economia que gira pelo otimismo”. Vilela, no entanto, alerta. “Precisamos contar com o apoio das esferas municipal, estadual e federal para que a máquina burocrática não trave os investimentos.”

O presidente destaca a volta do incremento no setor de Petróleo e Gás em Angra dos Reis. “A região foi muito impactada pelo desemprego, aumento substancial da criminalidade e pela falta de investimentos. Essa notícia vem em uma hora muito oportuna e vamos trabalhar para manter esse ambiente de confiança”, finaliza. Após quatro anos de recessão, os investimentos mapeados apontam reversão do quadro econômico no estado. O desenvolvimento desses projetos possui potencial de geração de empregos diretos e indiretos em sua implantação e ao longo de toda sua vida útil, com oportunidades para todos os níveis de qualificação.

TRANSFORMAÇÃO

Vale ressaltar que entre todos os projetos confirmados para o estado do Rio, 24 contam com participação direta de empresas estrangeiras, representando R$ 59 bilhões (36% do previsto para o estado). Isso evidencia a volta do Rio de Janeiro ao radar de investidores internacionais.

Além do setor de Petróleo e Gás, o Rio possui importantes investimentos confirmados em Indústria de Transformação, Desenvolvimento Urbano e Infraestrutura. No setor industrial (R$ 19,9 bilhões), destaque para o PROSUB (Programa de Desenvolvimento de Submarinos da Marinha do Brasil). O maior projeto nacional da Indústria de Defesa contempla, além da construção de complexo industrial, a produção de quatro submarinos convencionais e um de propulsão nuclear até 2029.

Em Desenvolvimento Urbano (R$ 5,5 bilhões), a maioria dos investimentos são públicos, com foco em urbanização, contenção de encostas e saneamento básico. O maior projeto é o Programa de Abastecimento de Água para a Baixada Fluminense, da Cedae, que contempla a estação de tratamento de água Novo Guandu.

Em Infraestrutura (R$ 3,1 bilhões), destaque para os investimentos no Porto de Itaguaí, visando ampliar a capacidade do Terminal de Granéis Sólidos (Tecar) e modernizar o terminal de contêineres (Sepetiba Tecon). No Porto do Rio de Janeiro, há investimentos confirmados para modernização do terminal de trigo e de seus acessos terrestres, com a construção da Avenida Portuária. Em rodovias, há investimentos na BR-101 para implantação de terceira faixa no trecho Niterói-Manilha.