Solidariedade terá Marcelo Russo como pré-candidato a deputado federal

1

VOLTA REDONDA

O delegado adjunto da 93ª Delegacia de Polícia, Marcelo Russo será pré-candidato a deputado federal pelo Solidariedade. Ele assinou a ficha de filiação recentemente. Na última semana o presidente estadual da legenda, o deputado federal Aureo, esteve nas cidades da região, onde acertou com Russo os últimos detalhes.  Marcelo Russo está há quase dois anos na cidade do aço como delegado adjunto. Ele entrou para a polícia há quatro anos. Já foi sargento da aeronáutica, agente penitenciário por cinco anos, e por 14 anos como oficial de Justiça.

“Sou servidor público há 24 anos e escolhi Volta Redonda para morar. Já tinha morado três anos aqui quando fui oficial de Justiça e pedi para voltar como delegado”, disse Russo que é natural do Rio de Janeiro. Dentre o que planeja lutar se for eleito para a Câmara Federal, mencionou que pretende olhar a questão da segurança pública de maneira ampla. Ele explicou que o Brasil tem um processo penal altamente libertário, onde um criminoso é preso hoje e solto dias depois para se envolver novamente em um crime. “É uma coisa que temos que lutar no congresso. Essa questão processual é muito importante, mais até do que a penal. Não adianta só falar de segurança pública e achar que o problema está apenas na polícia, na falta de equipamento, nas precariedades. É um conjunto e temos que tentar ver a coisa de forma mais macro para englobar os atores da segurança de maneira ampla”, esclareceu Marcelo Russo, completando que o artigo 144 da Constituição Federal fala que a segurança é dever do estado e direito das pessoas, mas também responsabilidade de todos, e essa parte é deixada de lado.

Marcelo Russo veio para a disputa a um cargo na política pela primeira vez. Ele acredita que pode realizar mais se for eleito, já que as mudanças passam pelo Legislativo. Ele citou a lei da delação premiada que está servido para apontar as corrupções no Brasil. “Estamos vivendo um choque na realidade com essa possibilidade de delação. Imagina só se um dia conseguimos elaborar uma lei que seja rigorosa no caso de maus tratos de animais. Porque hoje ninguém fica preso quando pratica esse crime”, lembrou. Ele citou a mudança ainda no código de processos penais, que é excessivamente libertário. “No início desse ano, por exemplo, prendemos um homem que tentou furtar uma residência em Volta Redonda. Ele tinha 32 passagens por furto. Não é problema mais da polícia, é Legislativo”, destacou.

O pré-candidato afirma que não pretende apenas focar na questão da polícia, como sua proposta, mas sim expandir para áreas que ele tem afinidade, como a própria segurança pública, causa dos animais, questões religiosas. “Carrego todo um histórico de vida, mas estou aberto aos apelos da sociedade”, afirmou Marcelo Russo, lembrando da questão do desemprego.

IDA AO SOLIDARIEDADE

A respeito de sua ida para o Solidariedade, Marcelo Russo disse que ouviu propostas de todos os partidos. E que aceitou o desafio pela legenda não ser tão de direita, nem de esquerda, mas de centro. “Fazer as ideias acontecerem pelos extremos é muito difícil. Estou muito motivado, acreditando nessa parceria com o partido, acreditando no presidente Aureo”, disse o pré-candidato a deputado federal.

Ao A VOZ DA CIDADE, o presidente do Solidariedade no Estado, deputado Aureo afirmou que no momento em que o estado vive, o nome de Marcelo Russo é muito importante. “É um momento que precisa ser discutida a segurança pública do estado, e ele tem demonstrado competência em sua função como delegado e eu tenho certeza que ele vai contribuir para o desenvolvimento do país”, concluiu.

 

 

 

1 comentário

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !