Sociedade Musical Nossa Senhora da Conceição pede socorro

0

A Sociedade Musical Nossa Senhora da Conceição que, atualmente ocupa o espaço que faz parte dos bens deixados por Eufrásia Teixeira Leite à comunidade do município, pede socorro. Por isso, a participação da população no Concerto de Boas Vindas a ser realizado no próximo dia 9, às 18h30min, na Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição, pode contribuir para salvar essa importante instituição, que há mais de 30 anos ensina música, gratuitamente, na região.

O Concerto de Boas Vindas será com a PIMzada e padrinhos, Cristina Braga, na harpa, Ricardo Medeiros, no contra baixo, e Celso Woltzenlogel, na Flauta. Em seguida, às 19 horas, será realizada Audiência Pública para discutir sobre o tema. Os organizadores garantem que, a participação de toda a comunidade será muito importante.

Vale lembra que, de acordo com o testamento, foi construído e doado ao Instituto das Missionárias do Sagrado Coração de Jesus, onde durante 50 anos funcionou o Colégio Regina Coeli. Quando essa congregação sai de Vassouras, assume o espaço por 20 anos a Universidade Severino Sombra.

Em 2012, a Irmandade Santa Casa de Misericórdia de Vassouras, administradora dos bens de Eufrásia, sem nenhum vínculo com a Igreja, e a Universidade Severino Sombra não se entendem quanto ao aluguel cobrado e mais uma vez o prédio é desocupado.

Durante dois anos e meio, o espaço ficou literalmente abandonado, sendo invadido, depredado, funcionando como depósito e venda de drogas, quando foram roubados de vasos sanitários até objetos da Capela. Os fundadores e coordenadores da Sociedade Musical informam que, com uma ligação afetiva intensa com o espaço, seja como alunos ou contribuindo com as irmãs no trabalho pastoral da Paróquia, portanto, ao tomarem conhecimento desse fato, procuraram os responsáveis pela irmandade  e nos foi proposto um aluguel no valor de 30 salários mínimos. Ressaltaram que, a Sociedade Musical, cumpre rigorosamente aquilo que foi objeto da vontade do testamento de Eufrásia Teixeira Leite, atendendo gratuitamente crianças, adolescentes, jovens,  adultos e os mais experientes.

Lembraram os fundadores que, na audiência de conciliação, fizeram a proposta de pagar R$ 5 mil mensais e continuar as parcerias que possibilitam as obras necessárias para a recuperação do que foi danificado.  Além de não aceitar, a Irmandade está nos cobrando uma dívida de quase um milhão de reais e deixou bastante claro a intenção de penhorar nosso patrimônio, que como todos sabem, se resume nos instrumentos musicais, que são utilizados pelos alunos e foram adquiridos através de doações e dos projetos e prêmios conquistados ao longo desses 36 anos.