Sistema aquaviário poderá voltar a funcionar no Rio Paraíba

0

RESENDE

O município poderá voltar contar com um transporte aquaviário. Foi aprovada pelo Plenário da Câmara de Vereadores a indicação de autoria do vereador Silvio da Fonseca, o Tivo (PP), para a implantação do sistema de transporte hidroviário no Rio Paraíba do Sul.

Segundo o vereador Tivo, a proposta pretende amenizar o fluxo de veículos no município, em especial nos horários de pico, tornando o trânsito menos caótico, além de favorecer o turismo na cidade. “Em um passado recente, tínhamos a opção de utilizar o transporte aquático. Penso que a cidade merece ter de volta este meio de transporte, desta vez melhor implementado, com os barcos fazendo paradas em diferentes pontos de bairros que margeiam o rio Paraíba do Sul”, explicou o parlamentar. Ele ainda explicou que o retorno deste modal será essencial para desafogar o trânsito na cidade. “Resende hoje tem um trânsito muito intenso, especialmente nos horários de pico. Com o retorno do transporte aquaviário será possível diminuir os engarrafamentos e dar mais opções de transporte à população”, disse.

CHALANA LEDA VASCONCELOS

Em maio de 2008, no então governo do prefeito Silvio de Carvalho, foi criado no município o transporte aquático. Na época, chegou a circular por um período a Chalana Leda Vasconcelos, que tinha capacidade para 16 lugares e um tripulante. O projeto de navegabilidade proposto pelo prefeito da época incluía o trajeto pelo Rio Paraíba do Sul inicialmente aos finais de semana e com serviço de traslado entre as margens, nas imediações de Campos Elíseos, principal Centro Comercial da cidade. As viagens saiam do cais da Rua Saulo Rachid, em Campos Elíseos, indo até a ponte do Acesso Oeste, no Jardim Primavera, em uma viagem de 40 minutos à uma hora.

A proposta de Carvalho era de consolidar a navegabilidade no Rio Paraíba como uma alternativa de lazer e transporte para os resendenses e turistas que visitassem o município. A chalana parou de operar em dezembro de 2008.