Sindicatos dos Correios realizam assembleia de greve na terça-feira

2

SUL FLUMINENSE

As diretorias da Federação Interestadual dos Sindicatos dos Trabalhadores e Trabalhadoras dos Correios (Findect) e do Sindicato dos Trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios Telégrafos e Similares do Rio de Janeiro (Sintect) realizam nesta terça-feira, dia 10, às 19 horas, na Praça de Guerra, no Rio de Janeiro, a Assembleia de Greve. Assim como no estado do Rio de Janeiro, o encontro será definitivo para que a categoria delibere sobre possível paralisação das atividades em âmbito nacional, uma vez que desde julho os sindicalistas buscam, sem êxito, formalizar um Acordo Coletivo de Trabalho com a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), tendo inclusive como intermediador o Tribunal Superior do Trabalho (TST). No dia 27 de agosto, o vice- o vice-presidente do TST, ministro Renato de Lacerda Paiva, divulgou o despacho convocando reunião bilateral de trabalho e negociação sobre a campanha salarial dos Correios, para esta terça-feira, dia 10, às 14 horas.

Vale lembrar que o acordo coletivo da categoria ficou vigente até o início de agosto, sendo que antes de chegar o término, tanto sindicato quanto a estatal, concordaram pela prorrogação até o último dia 31. Neste período, durante negociações, os sindicalistas se comprometeram a aguardar uma definição. O calendário foi superado e nenhuma decisão aconteceu e a empresa não prorrogou o acordo. Desde então, os sindicatos da categoria se mobilizam em torno de uma possível greve.

Os ecetistas estão em estado de greve desde o mês de agosto, propensos para possível paralisação geral

A categoria reivindica reajuste salarial de 3,1% – a estatal ofereceu 0,8% – conforme recuperação do período de inflação dos últimos 12 meses, segundo dados do INPC – Índice Nacional de Preço ao Consumidor. E também protestam contra a proposta de revogação do ACT em clausulas como a que exclui o vale cultura, reduz o adicional de férias de 70% para 33% e a que amplia a mensalidade do convênio médico e que trata da coparticipação em tratamentos em saúde.

Os procedimentos são acompanhados atentamente pela liderança sindical na região. De acordo com Esmeralci Silva, diretor do Sintect no Sul Fluminense, a expectativa é que uma greve tenha início. “A expectativa é de greve. Teremos as assembleias em âmbito nacional. As unidades estão ativas e a assembleia nossa será na Praça de Guerra, no Rio, às 19 horas”, informa. Desde agosto os ecetistas estão em estado de greve, ou seja, todos os funcionários seguem nos postos de trabalho, sem reduzir serviços e atendimento aos usuários dos Correios. “A greve abrangeria a região sim, por conta de ser uma decisão a nível nacional. Vamos seguir a negociação pelo acordo coletivo”, frisa Esmeralci. Caso optem pela greve, a determinação deve ter início a partir das 22 horas desta terça-feira, dia 10.

A categoria organiza a coleta de assinaturas em abaixo-assinado contra a privatização dos Correios

PRIVATIZAÇÃO

Os trabalhadores também são contra a possível privatização da ECT. Segundo o Sintect, o governo federal pretende entregar o setor postal a empresários e questionam se apenas 324 municípios dão lucro, como ficará a população dos outros 5.356 no país? A categoria tem organizado abaixo-assinado pedindo apoio popular contra as pretensões do governo federal.

2 Comentários

  1. Anarquia já. Não deveriam existir Presidente, Governador, Deputado, Senador, Vereador. Ele existem para trabalhar para a população, mas isso é só fachada. Entáo o País não deveria ter nenhuma forma de governo aparente. Se a situação piorasse era só voltar para o jeito que era.

    • O negócio é greve madura; que significa paralisação total das atividades, sem data pra retorno, com no mínimo 7 dias sem conversa fiada com a empresa.
      Deixa a empresa peidar primeiro, para depois sim, os sindicatos se manifestarem exigindo tudo ou nada.
      De uma forma ou de outra querem privatizar, então, tá na hora de apertar o botão “F”.
      Foda-se

Deixe um Comentário

error: Conteúdo protegido !