Sindicato dos Metalúrgicos investiga denúncia na Saint-Gobain

0

BARRA MANSA

A diretoria do Sindicato dos Metalúrgicos do Sul Fluminense (SindMetalSF) está investigando denúncias de exploração de trabalho por parte da direção da empresa Saint-Gobain Canalização, em Barra Mansa. A unidade situada na Rodovia Sérgio Braga, nº 452, no bairro Barbará, é alvo de crítica de funcionários que alegam péssimas condições de trabalho. De acordo com o SindMetal, a queixa está relacionada com inúmeros acidentes ocorridos, principalmente, na área da centrifugação, que só este ano já contabilizou três acidentes. O Sindicato ressalta ainda que a empresa não está emitindo o Comunicado de Acidente de Trabalho e nem registrando os acidentes.

O SindMetal ressalta que a diretoria entrou em contato com os representantes da Saint-Gobain, que afirmaram desconhecer as críticas dos funcionários. Diante da informação, a diretoria do Sindicato ressaltou que existem denúncias também sobre a excessiva jornada de trabalho, que é consequência das inúmeras demissões e também do afastamento de trabalhadores por doenças ocupacionais ou acidente de trabalho. Caso seja confirmada a denúncia, o Sindicato entrará com pedido de fiscalização ao na Secretaria Especial de Previdência e Trabalho – que integra a atual estrutura do Ministério da Economia, absorvendo funções do extinto Ministério do Trabalho e Emprego.

A Saint-Gobain Canalização em Barra Mansa fabrica tubos e conexões há mais de 80 anos

De acordo com a diretoria do Sindicato dos Metalúrgicos, os funcionários reclamam ainda de rigor excessivo na pressão para que mantenham a produção da unidade e que ocorre desrespeito à folga após o zero hora, pois a empresa está dividindo em dois dias, determinando que seja sempre às quartas-feiras e que não concede folga, e aos domingos. “As denúncias que chegaram ao Sindicato relatam um verdadeiro regime de escravidão e que não estão aguentando mais. Há relatos de que a convocação do dia seguinte, quase sempre, é feita ao final do dia, para prorrogarem duas horas de serviço, mesmo já sem nenhuma condição física. Assim, os trabalhadores pedem socorro e o Sindicato está intermediando a situação com a maior urgência possível já que o risco de acidentes mais graves está, cada vez mais, eminente”, informa a diretoria do Sindicato dos Metalúrgicos.

Ainda no relato passado aos sindicalistas, funcionários da manutenção do setor da Centrifugação da Saint-Gobain estão reclamando da sobrecarga e do desrespeito às normas de segurança. A entidade alega que a empresa estaria descumprindo normas, pois a exigência é de dois mecânicos por turno, o que tem os deixados vulneráveis ao risco de acidentes. “O sindicato já alertou a empresa e aguarda mudança”, frisa o SindMetal.

DIREÇÃO DA SAINT-GOBAIN APURA ACUSAÇÕES

Diante das acusações relatadas pela direção do Sindicato dos Metalúrgicos, a reportagem do A VOZ DA CIDADE entrou em contato com os responsáveis pela empresa Saint-Gobain Canalização. A empresa enviou comunicado informando que “a Saint-Gobain é globalmente reconhecida pelo respeito às leis vigentes e sua atuação rigorosa em relação à segurança e ao bem-estar de seus colaboradores, bem como pela implementação das melhores práticas para gestão da saúde e preservação do meio ambiente”. No comunicado a empresa “ressalta que seus funcionários são treinados e incentivados a agir de forma responsável, recebem todas as condições e equipamentos adequados para preservar a sua segurança”.

E disse ainda que, “a respeito do conteúdo da nota divulgada pelo Sindicato dos Metalúrgicos do Sul Fluminense a empresa informa que está apurando as denúncias e trabalhando junto à instituição para esclarecer todos os pontos citados. A Saint-Gobain Canalização em Barra Mansa fabrica tubos e conexões há mais de 80 anos no país”.

Deixe um Comentário

error: Conteúdo protegido !