Sicredi orienta sobre planejamento financeiro após o Carnaval

0

SUL FLUMINENSE

Muitos brasileiros têm a sensação de que o ano só começa depois do Carnaval. Passada a folia e os gastos tradicionais com IPTU, IPVA, material escolar e férias de verão, vem a preocupação com o planejamento financeiro para o ano que parece, finalmente, começar. De acordo com uma pesquisa divulgada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), guardar dinheiro é a principal meta financeira dos brasileiros em 2020 (49%). Ainda segundo o levantamento, 30% dos entrevistados têm como meta fazer uma viagem e 27% pretendem quitar dívidas e “sair do vermelho”.

A gerente de Desenvolvimento de Negócios da Central Sicredi PR/SP/RJ, Adriana Zandoná França, explica que para a realização das metas é importante organizar o orçamento. “Existem várias opções de investimentos para diferentes perfis. O mais importante é colocar em prática o planejamento financeiro e lembrar que nunca é tarde para começar”, comenta. E se o ano só começa mesmo depois do Carnaval, a Sicredi mostra seis dicas para planejar a vida financeira em 2020. O primeiro passo para uma vida financeira mais saudável é descobrir o valor total da renda e identificar os gastos. As informações podem ser colocadas em uma planilha simples. “Com esses dados é possível identificar e cortar o supérfluo e ainda estimar e se preparar para gastos mais sazonais como datas comemorativas, aniversários, pagamento de impostos. Ao elaborar o orçamento, também é importante levar em consideração imprevistos que podem ocorrer ao longo do ano”, explica Adriana.

Em seguida, deve-se evitar comprar por impulso. Seis em cada 10 brasileiros compram por impulso, segundo o SPC e CNDL. “É importante refletir sobre a necessidade de cada compra separando um valor para os objetivos que podem ser de curto, médio ou longo prazo. As compras, especialmente de menor valor, devem ser feitas à vista evitando parcelamento para aquisição de produtos supérfluos”, analisa a especialista. A terceira dica é que para realizar compras à vista é preciso economizar e a poupança é uma aliada. “Quem tem menos disciplina ou ainda não adquiriu o hábito de guardar recursos pode fazer uso de serviços como a Poupança Programada. Nesse caso, é feita uma reserva automática em data específica, normalmente no recebimento do salário, garantindo a reserva de dinheiro”, explica Adriana.

A quarta sugestão da Sicredi é sobre a oferta: pense duas vezes. Fuja da tentação das ofertas. Ao se deparar com uma promoção, é importante refletir sobre as reais vantagens do valor apresentado e a necessidade do produto. Muitas vezes as ofertas resultam em compras por impulso e gastos desnecessários. A quinta dica é sobre investimentos, procure os adequados ao seu perfil. “Os fundos de renda fixa são sugeridos ao poupador mais conservador. No Sicredi, por exemplo, temos opções de investimentos em fundos de renda fixa e opções para perfis moderados e/ou arrojados, como o Fundo Inflação e os Fundos Multimercados, além de opções que podem apresentar maior rentabilidade ao longo prazo, como o Fundo Ibovespa. A grande vantagem de se associar e investir em uma instituição financeira cooperativa é que, além de receber uma orientação financeira para seus investimentos, o associado participa dos resultados da cooperativa gerados no final de cada ano”, afirma a gerente.

Por fim, a educação financeira é a sexta dica. É importante investir no conhecimento para buscar as melhores maneiras para administrar e investir o dinheiro. Vale procurar publicações que são referência sobre o tema e promover conceitos de educação financeira desde a infância. “O Sicredi desenvolve, desde 2018, uma parceria com o Mauricio de Sousa Produções na elaboração de gibis e desenhos animados da Turma da Mônica sobre planejamento do orçamento e controle dos gastos. Todo o material possui uma linguagem voltada para as crianças. Os desenhos podem ser visualizados na nossa página no youtube e os gibis estão disponíveis em nossas agências, em todo o Brasil. Quanto antes falarmos sobre dinheiro, mais cedo aprendemos conceitos como consumo consciente e a importância de economizar”, finaliza Adriana.

error: Conteúdo protegido !