Sepe-VR promove carreata nesta quinta-feira contra as demissões dos profissionais concursados

0

VOLTA REDONDA

Visando protestar contra as demissões dos profissionais concursados feitas por determinação da Justiça, o Sindicato Estadual de Profissionais de Educação (Sepe-VR) está convocando os profissionais para participarem de uma carreata a partir das 14 horas  desta quinta-feira, dia 13. A direção do Sepe-Vr orienta que todos os participantes deverão respeitar as normas para evitar do contágio do novo coronavírus (Covid-19) usando máscaras, álcool gel para a higienização das mãos e o distanciamento de um para o outro para evitar aglomeração.

De acordo com o roteiro da carreata, os manifestantes irão se concentrar em frente ao campus da Universidade Federal (UFF), no bairro Vila Americana, de onde  seguirão por algumas ruas do município, finalizando na Rua Jayme Panteão, próximo à Fundação Oswaldo Aranha (FOA), no Aterrado.

SEM COMPROVAR DINHEIRO EM CAIXA

Por decisão judicial, após a gestão passada não ter comprovado que havia dinheiro em caixa para pagar novos servidores, as contratações de professores e concursados de outros setores foram suspensos. A decisão,

segundo uma das militantes do Sepe-VR, Maria das Dores Mota, foi contestada pelo sindicato através de uma nota de repúdio. Logo depois, o prefeito Antônio Francisco Neto anunciou a prorrogação da vigência do concurso público da Educação, realizado em 2019 para 2023. Mesmo assim, o Sepe-VR discorda.

Segundo a militante, o Sepe fez uma intervenção no próprio processo que o atual prefeito fez conta o ex-prefeito Samuca Silva para resguardar o direito dos profissionais da Educação. “Foi peticionado e aguarda a posição do Juiz. Portanto não é uma ação autônoma do Sepe-VR”, informou, lembrando que só da Educação dizem de 600 profissionais envolvidos na situação, mas o Sepe não obteve informações oficiais. “O Sepe-VR já solicitou em ofício audiência com a Secretaria de Educação, mas não houve retorno”, destacou Dodora.

A CONTRATAÇÃO FOI INVALIDADA

Na semana passada, conforme o atual governo, os professores chegaram a ser chamados no final de 2020, mas a contratação foi invalidada pela Justiça, por meio de uma decisão proferida no mês de dezembro. Conforme a decisão, deferida pelo juízo da 4ª Vara Cível da Comarca de Volta Redonda, o município deve se abster de nomear ou convocar, bem como suspender eventuais nomeações realizadas nos 180 dias anteriores ao final do mandato do ex- prefeito Samuca Silva. Foi determinado que o governo anterior suspendesse o chamamento até que comprovasse que “havia verba suficiente para pagamento de quem pretende nomear”. Ainda na decisão, o juiz ressaltou que o governo passado pretendia fazer as contratações “no apagar das luzes”, enquanto parcelava ou atrasava o pagamento dos salários dos servidores.

error: Conteúdo protegido !