Segundo carro de professor assassinado é encontrado

0

VOLTA REDONDA/RIO DAS OSTRAS

O Hyundai Veloster branco, placa KPI-5593, que pertencia ao professor Juarez Mendonça Matos, de 72 anos, encontrado morto em seu apartamento na Rua Antonio Ourique, no bairro São João, na noite de terça-feira, 22, foi recuperado na tarde de quinta-feira, 24, por policiais do 32º Batalhão de Polícia Militar (BPM) de Rio das Ostras. O veículo de luxo, que tinha desaparecido da garagem do apartamento da vítima, provavelmente no dia do crime, foi encontrado estacionado na Rua Beira Rio, no bairro Nova Esperança, em Rio das Ostras; próximo a um Colégio Municipal.
O Veloster, que foi encontrado depois da denúncia de um morador, tinha desaparecido da garagem da casa do professor, juntamente com outro carro dele, a Mercedes Benz SSL preta, placa APQ-0616. O carro foi localizado, na tarde de quarta-feira, 23, por policiais do 28º BPM no bairro Santa Lúcia, em Barra Mansa, em poder de Mario Fernando Santiago, 27 anos, e Marcos Emanoel Pedro Celestino, de 20. Em depoimento na 93ª Delegacia de Polícia de volta Redonda (DP), eles negaram participação no crime, mas ficaram presos por receptação de produto roubado.
A dupla, que foi transferida para a Cadeia Pública, antiga Casa de Custódia de Volta Redonda, no bairro Roma, teria dado duas versões para o caso, sendo que uma delas é de que o veículo foi comprado de uma mulher e dois homens, em Barra Mansa, por R$ 600. Na outra versão, eles teriam alugado o veículo pelo mesmo valor para ser entregue na tarde de quarta-feira, quando foi encontrado pela PM. Na última versão, Mario Fernando, declarou que havia empenhado o veículo por R$ 600, dando inicialmente R$ 200 e que depois daria o restante, R$ 400, para o trio que a dupla não conhece.
O delegado titular da 93ª Delegacia de Polícia, Eliezer Lourenço, que investiga o caso, garante que as investigações estão adiantadas, mas prefere não dar mais detalhes para ao atrapalhar o trabalho dos policiais. Na quinta-feira mesmo, ele pediu para que a delegada de Rio das Ostras apreendesse o veículo onde seria feita a coleta das impressões digitais para chegar ao autor do crime.