Secretaria de Saúde de Itatiaia amplia a oferta para procedimento ginecológico

0

ITATIAIA

A Secretaria de Saúde de Itatiaia iniciou recentemente a realizar no Hospital Municipal Manoel Martins de Barros um procedimento denominado exames de histeroscopia diagnóstica. A ampliação da oferta do exame, anteriormente realizado apenas no ambulatório central, visa diminuir a fila de espera do município para o procedimento ginecológico.

A histeroscopia é um exame realizado para observar a cavidade uterina, o canal cervical e a vagina. O exame é rápido e pode ser realizado sem anestesia e, em muitos casos, como quando há pequenos pólipos, a retirada da lesão pode ser feita no mesmo ato, sem necessidade de internação. A maioria das pacientes queixa-se apenas de uma ligeira cólica durante o exame. “Cheguei ao hospital às 6h da manhã e estava há 3 meses esperando para realizar o procedimento. Estou satisfeita, o exame foi rápido e o médico foi muito atencioso. Deu tudo certo e para mim foi muito melhor fazer o procedimento aqui porque é mais perto de casa”, comentou a moradora do Jardim Itatiaia, de 59 anos, Maria Aparecida Correa.

De acordo com o Cirurgião Obstetra, Eduardo Loyola, a histeroscopia diagnóstica será realizada uma vez por mês no hospital com atendimento médio de 10 pacientes. “Este é um exame que proporciona ao paciente um diagnóstico preciso de determinadas patologias como pólipos e miomas, além de evitar determinadas cirurgias como, por exemplo, a retirada do útero precocemente. Na histeroscopia diagnóstica a mulher pode ir embora assim que termina o procedimento e não é necessário ficar internada. O procedimento será realizado uma vez por mês de acordo com a demanda reprimida do município, atendimento médio de 20 pacientes”, explicou o médico.

Segundo a Coordenadora do setor de Tratamento Fora Domicílio (TFD), Carina Maia, dois médicos estão realizando o procedimento que possui uma demanda reprimida com cerca de 70 pessoas na fila. “O exame já é realizado na Policlínica da Mulher, mas é a primeira vez que está acontecendo no hospital. Para diminuir a demanda reprimida de cerca de 70 pessoas na fila, dois médicos estarão fazendo o exame na cidade. A previsão é que em 4 meses a fila diminua, mas ela não irá zerar porque sempre há procura por este procedimento”, esclareceu Carina.