Sassaricando – Oscar Nora – 20 de julho de 2019

0

Foto: Divulgação

Ontem se comemorou o Dia do Futebol, esporte introduzido no país por volta de 1890 por Charles Miller, o bigodudo aí de cima. A data é uma homenagem da CBF ao Sport Clube Rio Grande, da cidade de Rio Grande/RS, fundado em 19 de julho de 1900 exclusivamente para o futebol. Outros clubes já existiam, mas agregavam outros esportes.
+
A contratação do zagueiro Igor pelo Barcelona da Espanha repete episódio na história do Volta Redonda, frequente descobridor de outros talentos negociados para clubes no Brasil e no exterior. Tomara que dessa vez o Voltaço não fique a ver navios como se diz na gíria quando alguém se estrepa em negociação mal sucedida.
+
Acontece todo dia no Brasil. Nas divisões de base dos clubes de pequeno investimento o jovem atleta começa a despontar e logo entra na alça de mira de ardilosos empresários de futebol. Com alianças maldosas, às vezes espúrias e dentro do próprio clube, o jovem vira ouro e o clube ferro guza.
+
A United World Wrestling atualizou o ranking mundial e colocou a brasileira Lais Nunes como segunda colocada na sua categoria, melhor posição da atleta na carreira. A posição garante Lais como uma das cabeças de chave do Mundial no Cazaquistão e umas das favoritas ao título no Pan-americano de Lima 2019.
+
Vasco e Fluminense se enfrentam hoje 11 horas da manhã. Quem perder pode dormir a rodada na zona de rebaixamento. Se der empate os dois podem roncar juntos. No mesmo horário, domingo jogam no Rio Botafogo x Santos. O Flamengo tentará curar a ressaca contra o Corinthians. Em São Paulo.
+
É uma injustiça atribuir ao Diego a culpa pela derrota do Flamengo na Copa do Brasil. De fato, Diego não é bom cobrador de pênaltis – nos últimos 14 que cobrou, perdeu 6. Ocorre que Diego bateu somente um dos cinco pênaltis. E depois dos 94 minutos em que o Flamengo não fez o que deveria ter feito.
+
O futebol é curioso. Na primeira partida o Flamengo sofreu três gols e todos foram anulados. Na segunda partida, tendo cinco oportunidades para marcar, perdeu três. A torcida também é curiosa. Se o jogador está bem, em coro o torcedor o chama de genial. Porém, se der mancadas, vira bestial.

Foto: Divulgação

 

Foto: Divulgação

A brasileira Nathalie Moellhausen conquistou na quinta-feira, a medalha de ouro no Campeonato Mundial em Budapeste, na Hungria. Filha de mãe brasileira e pai alemão, ela teve um combate emocionante na final com tempo normal mais três prorrogações. Faltando 40 segundos para acabar o duelo, Nathalie Moellhausen conseguiu o toque que garantiu o ouro e o título inédito para a esgrima brasileira.

Deixe um Comentário

error: Conteúdo protegido !