Sassaricando – Oscar Nora – 11 de janeiro de 2020

0


Último de Carvalho, falecido aos 81 anos no dia 26 de agosto de 1980, é o nome verdadeiro de um médico-veterinário, escritor e político de Minas Gerais atuante como vereador, deputado estadual e federal. Mas, por que o nome “Último”? Será que os pais, ao saberem da mãe novamente grávida, desesperados com a penca de filhos que já existia, decretaram: este filho será o último!
+
Pode ser também que ao registrar o filho, enfatizando que aquele é o último, o pai tenha induzido em erro o incrédulo escrivão. Acontece. Aricléia Café Chá, Adolfo Hitler Modesto Costa, Amim Amou Amado, América do Sul Brasil de Santana, Araci do Precioso Sangue, Antônio Veado Prematuro, Agrícola Beterraba Areia e Antônio Morrendo das Dores são apenas alguns dos milhares de nomes de pessoas registradas nos cartórios brasileiros.
+
Mas não é somente em razão dos erros involuntários que surgem pessoas com nomes estranhos. Muitos pais, desejos de homenagear pessoas ou fatos, colocam nomes inusitados em seus filhos sem imaginar as chacotas que eles irão sofrer. Ainda bem que a Lei 6.015, desde 1973, nesses casos permite aos maiores de idade a troca do nome bizarro.
+
Há pais que se inspiram nos craques do futebol. Depois da Copa do México, em 1986, vencida pela Argentina, 57 meninos brasileiros foram registrados como Diego Armando Maradona acrescidos do sobrenome da família. Um ano depois do tricampeonato do Brasil, nasceu em Manaus o garoto Tospericargerja, nome inventado pelo pai inspirado em Tostão, Pelé, Rivellino, Carlos Alberto, Gérson e Jairzinho.
+
Por falar nisso, Riquelmo e Riquelmy ambos do (Cruzeiro), Riquelme Ramalho (Nova Iguaçu) Riquelme Souza Silva (Atlético de Goiás), Riquelme de Souza (Fortaleza), Rikelmi (Juventus), Riquelmy Oliveira (São Caetano), Rickelme (Mauá), Rikelme (Suzano) e Riquelme Carvalho (Vasco da Gama) estão disputando a Copa São Paulo deste ano.
+
Um pai foi além na homenagem a Riquelme. Acrescentou Aimar, outro craque argentino. O garoto, atleta do Trem do Amapá, se chama Aimar Riquelme. Atuou ontem no empate do seu time com o Vitória da Conquista garantindo a vice-liderança do grupo 25 na terceira rodada do torneio. E assim rola a bola da vida.

error: Conteúdo protegido !