Salão ‘Milton Da Cás e sua Arte’ destaca as artes plásticas

0

RESENDE

A Academia Militar das Agulhas Negras celebra 75 anos em Resende e uma extensa programação integra as celebrações, como o a mostra gratuita ‘Salão Milton Da Cás e sua Arte’. O gaúcho de Santa Maria e resendense de coração reúne 18 obras de artes plásticas no Corredor Cultural situado na Aman.

São obras de pintura realizadas pelo artista plástico em diversos momentos e locais do Rio de Janeiro, Resende e cidades do Sul Fluminense. São 18 obras entre fotografias, pinturas feitas a óleo sobre tela, acrílica sobre tela e aquarelas. Em geral, refletem a paixão do artista pela natureza e o mundo náutico, com embarcações e oceanos. “A mostra é gratuita e segue aberta para visitação até o dia 15. É uma exposição que integra a programação alusiva ao aniversário de 75 anos da Aman em Resende, onde levo obras que expressam nas telas as paisagens e cenários que registro pela cidade e região. Há registros também do patrimônio histórico-cultural, particularmente de Resende, onde fica a Academia”, comenta Milton Da Cás. A visitação acontece até o próximo dia 15, entre 9h30min e 17 horas, no foyer superior do Teatro da Aman. A Aman está localizada na Rodovia Presidente Dutra, KM 306.

HISTÓRIA DA AMAN

A história da Aman, responsável pela formação dos oficiais combatentes de carreira do Exército Brasileiro, teve início em 1810, com a criação da Academia Real Militar pelo Príncipe Regente Dom João.

A Academia foi instalada na Casa do Trem, no Rio de Janeiro, onde passou a funcionar o Museu Histórico Nacional. A partir de 1812 passou pelo Largo de São Francisco, pela Praia Vermelha, por Porto Alegre e Realengo, até que, em 1944, foi fundada a sede em Resende.

No dia 23 de abril de 1951, recebeu a atual denominação de Academia Militar das Agulhas Negras, tendo como grande idealizador o Marechal José Pessoa Cavalcanti de Albuquerque. A Aman é o único estabelecimento de ensino superior que forma os oficiais combatentes de carreira das armas de Infantaria, Cavalaria, Artilharia, Engenharia e Comunicações, do Quadro de Material Bélico e Serviço de Intendência do Exército Brasileiro. “A história da Aman é incrível e participar desta homenagem com a exposição no corredor cultural me deixa muito orgulhoso. Uma satisfação que agradeço a todo o Comando e organizadores que auxiliam o crescimento da cultural regional”, finaliza Da Cás.

 

Deixe um Comentário

error: Conteúdo protegido !