Restaurante Popular passará por melhorias em Volta Redonda

0

VOLTA REDONDA

O secretário Municipal de Ação Comunitária de Volta Redonda (Smac-VR), Munir Francisco, se reuniu nesta semana com representantes do Restaurante Popular, localizado no bairro Aterrado. Durante o encontro, foram apresentados índices de satisfação dos clientes do restaurante, alinhadas algumas pendências e o secretário solicitou algumas mudanças para melhorar a qualidade da estrutura e manter a avaliação positiva das refeições servidas para os moradores.

Munir declarou que foi muito importante esse encontro para planejar melhorias para o restaurante, visando mais conforto e comodidade para os frequentadores. Hoje, segundo Munir, por apenas R$ 5 qualquer pessoa toma seu café da manhã e almoça graças a esse serviço de grande importância para aqueles que mais precisam.

De acordo com a diretora do departamento de Proteção Básica da Smac, Rosane Marques, a Branca, nesse período de pandemia de Covid-19, o Restaurante Popular serve cerca de 70 desjejuns, café da manhã, ao preço de R$ 1,50, e aproximadamente 600 almoços a R$ 3,50 cada refeição diariamente, tudo atendendo às normas de segurança e saúde estabelecidas em decreto de combate ao coronavírus.

CERCA DE DE 1,5 MIL ALMOÇOS E 300 CAFÉS DA MANHÃ

Antes da pandemia, eram servidos entorno de 1,5 mil almoços e 300 cafés da manhã aproximadamente. “Fornecemos uma alimentação adequada, garantindo um dos direitos básicos à população”, frisou a diretora do departamento de Proteção Básica da Smac, Rosane Marques, a Branca, que também esteve presente na reunião.

O diretor da empresa que administra o restaurante, Andrews Pedroso, também esteve no encontro. Acompanhado de sua equipe, a gerente regional Consuelo Galina e a nutricionista Jaqueline Stefann, Andrews explicou que, atualmente o Restaurante Popular de Volta Redonda tem 100% de satisfação dos frequentadores, conforme pesquisa realizada periodicamente. “A empresa sempre busca diversificar as refeições com cardápio variado, que também é acompanhado pela prefeitura, através da coordenação de Segurança Alimentar do município”, concluiu Andrews.