Região teve quase mil registros de furto de energia elétrica em 2017

1

 

SUL FLUMINENSE

Dados da Light, empresa responsável pela distribuição de energia elétrica em 31 das 92 cidades do estado tem realizado uma campanha para combater o furto de energia, o popular “gato de luz”. Até o terceiro trimestre deste ano, a Light realizou 2.179 inspeções na região, onde foram detectadas 982 irregularidades.

De acordo com a empresa, o furto de energia correspondeu, no terceiro trimestre de 2017, a 22% sobre toda a energia que passa pela rede da concessionária. Na região do Vale do Paraíba, o percentual é de 3,50%. Fazem parte desse registro as seguintes cidades: Barra do Piraí, Barra Mansa, Carmo, Comendador Levy Gasparian, Eng. Paulo de Frontin, Mendes, Miguel Pereira, Paraíba do Sul, Paty do Alferes, Pinheiral, Piraí, Quatis, Rio Claro, Rio das Flores, Sapucaia, Três Rios, Valença, Vassouras e Volta Redonda.

CRIME

O furto de energia é considerado crime, causa falta de luz devido à sobrecarga no sistema elétrico e pode ocasionar acidentes fatais, além de incêndios e danos à rede de distribuição. Se não houvesse, as contas seriam 17% mais baratas. De acordo com o artigo 155 do código penal, furtar energia é crime e dá de um a oito anos de cadeia.

COMBATE

Por meio de uma parceria com a Delegacia de Defesa dos Serviços Delegados (DDSD) e com as delegacias locais, a Light já realizou, de janeiro a setembro de 2017, 433 mil inspeções, sendo detectadas 340 mil irregularidades (todas normalizadas), ou seja, a cada 100 clientes, 79 furtavam energia. No mesmo período, a Light efetuou 409 registros de ocorrência na Polícia Civil, que por sua vez fez 40 prisões em flagrante.

A denúncia por furto de energia, além de ser mantida em sigilo, é importante para ajudar a evitar esta prática. A Light recebeu 1388 mil denúncias pelos canais de comunicação em 2017 (incluindo o Disque-Light – 0800-0210-196) e 720 pelo Disque Denúncia (21-2253-1177).

 

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !