Putin: questão nuclear na Península Coreana deve ser pacífica

0

COREIA

A única alternativa para as questões envolvendo a Península Coreana, incluindo a nuclear, é pela paz, disse ontem o presidente russo Vladimir Putin depois de uma reunião com o mais alto líder da República Popular Democrática da Coreia (RPDC), Kim Jong Un.

A Rússia está pronta para continuar a cooperar para reduzir as tensões na península e reforçar a segurança no nordeste da Ásia, disse Putin durante uma recepção à Kim.

O líder russo acrescentou que está convencido de que, com a participação ativa da comunidade internacional e de todos os estados interessados, o objetivo de garantir paz, estabilidade e prosperidade duradouras na Península Coreana poderá ser alcançado.

A recepção foi após reunião entre as delegações da Rússia e da RPDC, precedida por uma reunião pessoal entre Putin e Kim.

Kim chegou a Vladivostok em seu trem na quarta-feira para seu primeiro encontro com Putin.

A reunião entre Putin e Kim ocorreu num momento de crescentes tensões entre a RPDC e os Estados Unidos.

Na semana passada, a RPDC testou uma nova arma tática e pediu que Washington retirasse o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, das negociações futuras.

Em resposta, Pompeo rejeitou a demanda de Pyongyang de substituí-lo por alguém “mais cuidadoso e maduro” para lidar com as conversas.

QUESTÃO NUCLEAR

O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, pediu ao presidente russo, Vladimir Putin, para trabalharem em conjunto de forma a resolver o problema da desnuclearização da península coreana. “A situação na península coreana é de grande interesse para toda a comunidade internacional, espero que a nossas conversas sejam um evento importante para avaliar essa situação juntos, trocar opiniões sobre a situação e como resolver esse problema juntos”, disse Kim, acompanhado de Putin, no dia em que teve início a primeira cimeira entre os dois líderes, na cidade portuária russa de Vladivostok.

O encontro ocorre após o fracasso do encontro entre Kim e o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, em Hanói, em fevereiro.

Putin e Kim disseram hoje que confiam que a reunião irá contribuir para o processo de desnuclearização da península coreana e a normalização das relações entre Pyongyang e Seul. (*Com informações da Agência pública de notícias da China (Xinhua)