PT de Volta Redonda anuncia plataforma de plano de governo participativo

0

VOLTA REDONDA

As pré-candidatas a prefeita e vice-prefeita, Cida Diogo (PT) e Nena Duppre (PV), respectivamente, concederam hoje, 13, uma coletiva no Salão Nobre da Câmara de Vereadores. Elas informaram sobre o lançamento há uma semana da plataforma de plano de governo participativo ‘Volta Redonda para Todos e Todas’. Elas firmaram também para imprensa presencialmente a aliança entre os dois partidos. O fato já tinha sido anunciado em reunião online das legendas.

A plataforma pode ter acessada pela população através do endereço https://www.programadegovernopt.com.br/voltaredonda. Segundo Cida Diogo, a intenção da plataforma é contribuir para debate. “Vejo a cidade em um processo de estagnação econômica e política. Queríamos apresentar para a cidade não só a coligação e aliança de dois partidos que têm o mesmo pensamento, uma chapa feminina, mas afirmar que vencendo implantaremos uma nova forma de governar porque queremos discutir as políticas públicas que a sociedade quer implantar. Quero ver essa cidade fervilhando de ideias”, disse Cida Diogo.

Nena Duppre destacou que a proposta do PV é lutar por uma cidade ambientalmente correta. “Sair de uma cidade cinza para uma cidade verde. Volta Redonda está sem reciclagem de lixo. São 10% de Mata Atlântica. Queremos trabalhar para que em 2030 tenhamos uma cidade sustentável”, afirmou, lembrando que o PV elegeu dois prefeitos em Volta Redonda e ambos não implantaram a agenda verde. O último foi Samuca Silva. “Foi feito um programa de governo ligado ao PV e quando ele entrou praticamente rasgou todo ele. É um jovem com cabeça de velho, implantou em Volta Redonda a velha política”, completou, citando que um dos pontos assumidos pelo PT nessa aliança foi a construção de ciclovias pela cidade, o que tinha sido assumido anteriormente. Segundo ela, era para ter sido construído na cidade 180 quilômetros de ciclovias.

Cida Diogo, pré-candidata a prefeito, afirmou que além de ouvir as pessoas para elaboração do plano de governo, deseja, se eleita ao lado de Nena, implantar também o modo de governar do PT que é dar voz ao cidadão. “Vamos realizar conferências temáticas ao longo do ano para ouvir as pessoas. E no final do primeiro ano, se eleitas, vamos preparar o Orçamento Participativo”, destacou Cida.

A plataforma de participação popular está no ar e já aponta a área da saúde como a mais solicitada, pasta na qual diz que será a menina de seus olhos se conseguir chegar ao Palácio 17 de Julho. Citou que a questão das Organizações Sociais que administram dois hospitais da cidade será revista. De acordo com Cida, existem outros modelos melhores que estão sendo estudados, como Fundação da Saúde e até mesmo consórcio de pessoa jurídica de cidades da região. Disse ainda que quer reestruturar os PSFs de Volta Redonda, criar o Hospital Materno Infantil, além de rever e otimizar a rede de hospitais adquiridas pela atual gestão.

RELAÇÃO COM CSN

Questionada sobre como será o posicionamento do governo do PT com a CSN, Cida Diogo, disse que acredita ser preciso rever a privatização da Siderúrgica no sentido de que 25% das terras da cidade são ocupadas pela empresa. “Há um movimento chamado Terras de Volta e queremos, se formos eleitas, ingressar nessa discussão judicial para a cidade recuperar o que perdeu”, citou, lembrando áreas como Recreio dos Trabalhadores, Escritório Central, Floresta da Cicuta, que estão abandonadas pela empresa.

Com relação ao relacionamento com a empresa, citou que logicamente tentará fazer esse laço. Nena Duppret disse que a respeito do meio ambiente, deseja que seja criada a Comissão do Ar.

ALIANÇA GARANTIDA   

Cida Diogo afirmou que outros partidos podem se unir ao PT e PV, mas que a questão da vice-prefeitura está definida com Nena, que terá um poder de gestão ao seu lado. Questionada sobre se poderia ocupar a Secretaria de Meio Ambiente, a pré-candidata a vice afirmou que estão discutindo isso. Porém, são inúmeros projetos para a área, como investir em mobilidade urbana, com a aplicação da Tarifa Zero. “Precisamos tornar mais eficiente o transporte público, para permitir que o índice de poluição por uso de carros caia na cidade, porque é alto”, adiantou.

error: Conteúdo protegido !