Projeto ‘Tolerância Zero’ prende mais um homem em combate à violência doméstica em Barra do Piraí

0

BARRA DO PIRAÍ

Seis homens foram presos este ano em Barra do Piraí em combate à violência doméstica, dentro do projeto ‘Tolerância Zero’. O A VOZ DA CIDADE conversou com o delegado titular da 88ª Delegacia de Polícia (DP), Wellington Pereira, que destacou que o último caso aconteceu na noite de quinta-feira, dia 28, mas lembrou que durante a semana, os policiais civis também prenderam na quarta-feira, dia 27, um homem que teria agredido seu filho, um bebê de apenas cinco meses, com pancadas na cabeça. Esse pai teria, ainda, ameaçado sua esposa com uma faca.

No caso de quinta-feira, os policiais da 88ª DP prenderam um homem por crime de violência doméstica. “A prisão foi possível após os agentes terem sido alertados de que uma mulher estava sendo agredida e ofendida pelo ex-companheiro, que também desrespeitava medidas protetivas determinadas para seu afastamento e proibição de contato com a vítima”, disse o delegado.

Na quarta, um homem foi preso após ter sido denunciado por vizinhos. Ele teria agredido seu filho, que não queria dormir, em sua residência, que fica na Travessa América, no Morro do Carmo. A criança se encontra hospitalizada e a mãe contou que o marido ainda a fez ameaças durante as agressões ao bebê, que teve a cabeça atirada várias vezes na parede. Ele a ameaçou com uma faca.

O PROJETO

Em Barra do Piraí não existe Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher (Deam), ficando a Polícia Civil responsável pelas investigações dos casos voltados à violência doméstica.

O delegado, que está na titularidade da 88ª DP desde 10 de abril de 2018, conta que o projeto surgiu este ano para dar atenção ao fato que a cada dia aumenta mais em todo o Brasil.

“O projeto Tolerância Zero foi estabelecido no município em parceria com a prefeitura e órgãos que compõem a rede de combate à violência doméstica e proteção das mulheres’, disse, reforçando que esses órgãos, além da Polícia Civil, são: o Ministério Público, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) mulher, Judiciário, a sociedade e a prefeitura, por meio dos Centros de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) – que são unidades públicas da política de Assistência Social, onde são atendidas famílias e pessoas que estão em situação de risco social ou tiveram seus direitos violados.

O delegado Wellington Pereira explica que hoje, a cada dez registros feitos na 88ª DP, dois estão relacionados à violência doméstica. “O objetivo do projeto é combater a violência; proteger as mulheres/filhos; ajudar na conscientização da sociedade e dar apoio psicológico as vítimas e também aos agressores”, contou a autoridade policial, frisando que o diferencial do ‘Tolerância Zero’, e que os envolvidos tentam submeter os agressores a período de reeducação/orientação em sessões com a participação de psicólogos e assistentes sociais para que não voltem a cometer tais crimes.