Projeto ‘Pedreira da Voldac’ será discutido com o Poder Público

0

VOLTA REDONDA

Aconteceu, ontem, na sede do Movimento Pela Ética na Política (MEP), no bairro Niterói, um encontro para discutir o projeto ‘Turismo-Lazer’ para a pedreira abandonada na região do bairro Voldac. A reunião de trabalho contou com a assessoria de Silvia Real, cientista da área de geologia e ex- aluna do MEP. Na sua apresentação, online, dados geológicos e ambientais foram disponibilizados em slide, com referência à legislação que obriga o Poder Público a cobrar, fiscalizar no sentido da preservação e recuperação de áreas como a pedreira desativada.

Durante a exposição somada às experiências dos participantes surgiram idéias importantes que foram avaliadas. “A área foi desapropriada pela Prefeitura de Volta Redonda e há no Instituto de Pesquisa Planejamento Urbano (IPPU) um grande projeto para a área”, informou o engenheiro João Thomaz.

O professor Lincoln Botelho também falou sobre o projeto. Explicou que  na época o custo de elaboração do projeto foi altíssimo, aproximadamente R$230 mil. É um projeto caríssimo”, admitiu Botelho, acrescentando que pode iniciar com algo pequeno, cuidando e preservando a área com atividades de lazer por exemplo”, sugeriu Lincoln.

O advogado e praticante de escalada esportiva e montanhismo, Thiago Pereira, representando sua equipe, disse que ficou animado com o que foi proposto no encontro. “Um lugar mágico, lindo e atualmente totalmente abandonado, degrado e com riscos diversos. Creio que um projeto inicial de recuperação da área e preparação para atividades diferenciadas, inclusive para escaladas e rapel colocaria Volta Redonda na referência de esportes de aventura. Tudo isto, com as garantias de segurança e adequação devida”, pontuou Thiago, jovem escalador.

ENCAMINHAMENTOS

Do encontro foram tirados alguns encaminhamentos, como o que informou o engenheiro João Thomaz. Segundo Thomaz, o presidente do IPPU de Volta Redonda, engenheiro Márcio Lins, se colocou a disposição para dialogar com o MEP sobre o assunto. Há possibilidade, de acordo com Thomaz, agendar com Lins nova reunião para a próxima semana. O outro encaminhamento foi sugerido pela geóloga Silvia Real. “Sugiro que a equipe faça uma visita ao local para avaliar e radiografar a situação da área adormecida”, recomendou. O grupo aprovou a proposta.

Zezinho falou sobre a satisfação ao saber que a pedreira abandonada vai ser desapropriada para fim social. “Agradeço aos participantes e também às pessoas que manifestaram interesse pela inédita causa do cuidado com o ambiente. Há possibilidade de se criar algo inédito, em Volta Redonda, no que tange ao turismo e lazer. O registro, foi avaliado pelos participantes”, declarou Zezinho. O conselheiro do MEP declarou ainda que a informação de que o projeto, arquivado, no IPPU, dá uma finalidade positiva ao local na linha que defendeu a geóloga, Silvia Real, é satisfatório. “Foi constatado que dinheiro público já foi gasto na elaboração técnica do projeto, mas o MEP já iniciou uma articulação para discutir o aspecto político e técnico sobre o caso. A previsão é de que o encontro ocorra em breve”, concluiu.

Deixe um Comentário

error: Conteúdo protegido !