Projeto ‘Entre Nós’ visa levar apoio aos grupos vulneráveis durante pandemia

0

VOLTA REDONDA

Com o objetivo de contribuir com os grupos de maior vulnerabilidade da região, a Defensoria Pública da União (DPU), junto com a incubadora social Universidade Federal Fluminense (UFF) idealizaram o projeto ‘Entre Nós’. A ideia central é criar uma Rede de Cooperação Solidária, onde os coletivos possam dialogar entre si, contudo, a ação visa também uma arrecadação para atender as necessidades imediatas dos grupos que foram mais prejudicados com a pandemia, dentre eles: quilombolas, catadoras e catadores de materiais recicláveis e população em situação de rua.

Um perfil no Instagram (@entrenos_sulfluminense) foi criado para levar informações sobre o projeto e explica como a população pode contribuir com a causa. No perfil será divulgado também uma outra ação do projeto, na qual, pessoas desses coletivos contarão sobre sua realidade em transmissões ao vivo, além de especialistas que discutirão sobre os temas destacados.

O Defensor Público Federal da DPU-VR e Coordenador do Projeto ‘A DPU Vai Aonde o Povo Pobre Está’, Claudio Luiz dos Santos, explicou que o projeto não tem um prazo final e que as arrecadações serão feitas até que as necessidades sejam supridas. “Os articuladores se uniram com a finalidade de buscar soluções para atender esses grupos que demandam uma atenção especial. A partir daí começamos a pensar no que ajudaria em médio e longo prazo. Agora com a época do frio chegando, por exemplo, cobertores e agasalhos para a população de rua é de suma importância”, destacou.

Claudio ainda explicou sobre a Rede de Cooperação Solidária. “Essa rede fará os coletivos dialogarem entre si e assim colaborarem um com os outros. Quando observamos, verificamos que as diversas lutas, dificuldades e objetivos desses grupos de alguma forma se comunicam e são regional”, disse, acrescentando que nas lives do Instagram, há a intenção de levar pessoas de lugares onde a rede foi implantada.

Além disso, Claudio Luiz ainda lembrou que a pandemia deixou ainda mais evidente as desigualdades, na qual alguns grupos ficaram mais vulneráveis. “Eles estão passando por dificuldades imediatas, com dificuldades para se alimentarem”, finalizou.

PARCERIAS

Fazem parte da criação do projeto a Juventude Operária Cristã (JOC); o Fórum Justiça, Centro de Ação Comunitária (Cedac); a Toca Empreendimentos, Fórum de Economia Solidária de Volta Redonda; além da DPU, através da coordenação do Projeto ‘A DPU Vai Aonde o Povo Pobre Está’; o Observatório de Direitos Humanos do Sul Fluminense, a InTECSOL – Incubado Tecnológica e Social e Grupo PET de Gestão Social, todos da Universidade Federal Fluminense (UFF).

error: Conteúdo protegido !