Projeto destina espaço em transporte coletivo para fixar cartazes de pessoas desaparecidas

0

BARRA MANSA

Procurar um parente desaparecido não é uma tarefa fácil. Nessas horas quanto mais ajuda e meios para divulgação melhor. Pensando em criar mais uma maneira de ajudar nessa busca por pessoas desaparecidas, o vereador Gilmar Lelis (PRTB) elaborou um projeto de lei destinando espaço no interior dos veículos de transporte coletivo urbano, para a fixação de cartazes sobre pessoas desaparecidas. O projeto já foi aprovado em segunda discussão e segue para sanção ou veto do prefeito Rodrigo Drable (MDB).

Segundo o vereador, o projeto tem uma grande relevância social, pois cria um espaço público para exposição de fotos padronizadas, onde há grande circulação de pessoas, contribuindo dessa forma para divulgação de pessoas desaparecidas. “A cada ano, em média, 250 mil pessoas desaparecem no Brasil sem deixar rastro. Dessas, 40 mil têm menos de 18 anos, de acordo com estimativas oficiais. Apesar da gravidade do problema que pode ser ainda maior, já que especialistas apostam na defasagem dos números”, disse Gilmar Lelis.

O vereador contou que apesar de ver sempre nas redes sociais a busca por desaparecidos com um retorno até positivo por conta da rapidez das redes sociais, ainda é preciso pensar nas pessoas que não têm contato com internet e que podem ser fundamentais na ajuda para encontrar algum desparecido. “E os ônibus recebem diariamente um grande número de pessoas. Pode aumentar a possibilidade de pessoas serem encontradas”, falou, completando que se a lei for sancionada o cartaz de desaparecido pode ser enviado ao setor competente da prefeitura ligado ao transporte público.

Programa de arborização

Também já foi aprovado o projeto de lei do vereador que cria o Programa Municipal de Arborização Urbana, destinado a desenvolver ações para implantação, gestão e conservação das áreas verdes, com o objetivo de ampliar a cobertura vegetal urbana. A finalidade é distribuir espécie de mudas, visando à seleção de espécies mais adequadas para o plantio urbano. O programa terá ainda um caráter educativo e de conservação de áreas verdes. Podem participar pessoas físicas e jurídicas.

Uma das metas do projeto é incentivar iniciativas voluntárias individuais e coletivas de plantios em bairros, ruas, áreas de recreação e demais espaços previamente verificados e com mudas mais adequadas. “A arborização em áreas urbanas é fator predominante para melhor qualidade de vida dos cidadãos e é a garantia de um ambiente ecologicamente equilibrado. As árvores podem ajudar na questão estética, mas também conservam a biodiversidade tão necessária para nossa Cida, reduzem até a possibilidade de enchentes”, concluiu.

 

 

 

error: Conteúdo protegido !