Projeto de lei cria Sistema Municipal de Coleta de Sangue Móvel  

0

VOLTA REDONDA

Seguiu para sanção ou veto do prefeito Samuca Silva (PSDB) o projeto de lei de autoria da vereadora Rosana Bergone (PRTB) que propõe a criação de um Sistema Municipal de Coleta de Sangue Móvel. A intenção da vereadora é aumentar o número de doadores de sangue na cidade e, consequentemente, os estoques de sangue do Núcleo de Hemoterapia do Hospital São João Batista. Segundo o projeto de lei, a unidade móvel funcionaria em um veículo adaptado para essa finalidade devendo ser disponibilizado pela prefeitura, através da Secretaria de Saúde.

“Trabalhei em hospitais por muito tempo e em qualquer cirurgia eles pedem aos familiares que consigam doadores de sangue, que será usado por aquele paciente e para outros pacientes. E com este nosso projeto, queremos, a princípio, incentivar e facilitar a doação de sangue e estou grata porque isso foi reconhecido”, disse Rosana, ressaltando que o projeto foi aprovado com três emendas.

Segundo uma das emendas, além do veículo adaptado, para o funcionamento será preciso disponibilizar um motorista habilitado e um técnico de enfermagem que fará a coleta de sangue dos doadores. “Em outra, ficou definido que o veículo só poderá ser acionado para atender uma demanda igual ou superior ao número de dez doadores de sangue e se instalará em local de fácil acesso comum a todos. Na terceira, a Lei deverá entrar em vigor em 30 dias, a contar da data de sua publicação”, informou.

Rosana explica ainda que haverá uma linha de telefone gratuita para agendamento das doações de sangue, por meio de uma central, conforme o projeto. “Após o atendimento, a unidade móvel de doação será deslocada para o endereço agendado, no dia e horário marcado. Com a Lei, o município poderá promover campanhas educativas, realizar exames obrigatórios para doadores, esclarecer dúvidas sobre a doação e organizar mutirões para a coleta de sangue”, esclareceu, completando que nos mutirões, o resultado poderá ser ainda melhor.

A vereadora explicou que o veículo poderá ir a locais com maior concentração de pessoas, a prefeitura poderá fazer parcerias com associações de moradores, organizações não-governamentais e sindicatos. Bergone destacou que uma empresa privada poderá realizar uma campanha interna e o serviço de coleta móvel poderá ir até essa empresa e passar o dia coletando sangue de seus funcionários.

 

 

Deixe um Comentário

error: Conteúdo protegido !