Projeto de lei cria Centenário de Dom Waldyr Calheiros em 2023

0

VOLTA REDONDA

Um projeto de lei aprovado na Câmara de Volta Redonda institui o ano de 2023 como do Centenário de Dom Waldyr Calheiros. A ideia é do vereador Jari de Oliveira (PSB) e prevê a elaboração de um calendário de atividades em homenagem ao bispo da Diocese Barra do Piraí/Volta Redonda pelo líder religioso que foi e pelo engajamento nas lutas sociais em favor dos menos favorecidos. O projeto será enviado para sanção ou veto do prefeito Antonio Francisco Neto.

Segundo o projeto de lei, o calendário deverá incluir atividades de cunho religioso, social, cultural, educativo e político a ser elaborado pelo Legislativo, ouvindo propostas do Poder Executivo, da diocese, do Conselho Diocesano de Leigos, de outras denominações religiosas e populares e da população de Volta Redonda. Sempre com o objetivo de lembrar a contribuição de Dom Waldyr com o crescimento espiritual e social da nossa população. “É muito importante exaltar a memória de uma das pessoas mais importantes da história de Volta Redonda. Dom Waldyr deixou como legado a luta pelos pobres e perseguidos políticos e o seu próprio exemplo de vida. Pela exemplar conduta de vida como líder religioso e pelas memórias inesquecíveis na história de no nosso município, nada mais justo que esta homenagem”, disse o vereador.

NA ALERJ

Enquanto suplente de deputado federal, Jari que ficou na cadeira de janeiro até maio deste ano, elaborou uma lei aprovada pela Alerj, que institui 2023 como “Ano do Centenário de Dom Waldyr Calheiros” no âmbito estadual. “A Lei foi aprovada no final do meu mandato como deputado estadual, no último dia 31 de março, dia que marcou 58 anos do golpe militar. E todos nós sabemos como ele foi incansável na luta contra a ditadura”, lembrou o agora vereador.

DOM WALDYR

Dom Waldyr nasceu em 29 de julho de 1923 e morreu em 30 de novembro de 2013. Ficou conhecido pelo engajamento nas lutas sociais em favor dos menos favorecidos, como o movimento dos posseiros e o movimento sindical, jamais negou abrigo e apoio a todos os perseguidos políticos que buscaram a sua ajuda.

Lutou pelos direitos dos trabalhadores e de todos os seguimentos oprimidos da população brasileira, estendendo seu apoio também às lutas de outros povos pela liberdade e pelo fim da exploração econômica da força de trabalho. Sua trajetória de vida e trabalho como líder religioso, reconhecia que as ações da Igreja devem iluminar o trabalho em todos os âmbitos que fazem parte da vida do povo, inclusive o sociopolítico, numa atitude de superação da injustiça, das desigualdades e da exclusão social.

 

40 linhas