Professor do CIEP 493 é um dos vencedores do Prêmio Educador Nota 10

0

BARRA MANSA

O professor de sociologia Rodrigo Seixas, do CIEP 493 – Prof.ª Antonieta Salinas de Castro do bairro Vista Alegre, é um dos vencedores do 22º Prêmio Educador Nota 10. Ele conquistou a Academia de Selecionadores com o projeto de sociologia ‘Um Passeio pelos Tempos Líquidos’. O Prêmio Educador Nota 10, maior e mais importante prêmio da Educação Básica Brasileira.

O educador ganha um vale-presente no valor de R$ 15 mil, além de todas as despesas pagas para participar de uma semana de imersão e da cerimônia de premiação, marcadas para o próximo dia 30, em São Paulo, onde vai concorrer ao título de Educador do Ano.

Seixas conquistou o prêmio trabalhado com os alunos do 3º ano do Ensino Médio. A professora de português, da mesma instituição, Gleiciane Rosa Vinote Rocha foi coautora do projeto. Além disso, a dupla concorre ao prêmio ‘Esse Projeto é 10’, uma categoria extra. A edição 2019 do Prêmio abriu espaço para que o público também eleja o projeto de maior impacto por meio da votação popular. Para votar na dupla basta clicar em https://bit.ly/2kmi3op.

O tema escolhido traz os problemas, dilemas e desafios do século XXI, propondo maneiras diversas de viver e se colocar enquanto indivíduo na sociedade. O professor fez os jovens refletirem sobre essas questões tendo como ponto de partida o conceito de ‘modernidade líquida’ do sociólogo polonês Zygmunt Baumann. “A linha de raciocínio aborda o tempo que vivemos atualmente, onde tudo muda cada vez mais rápido. O mundo não é o mesmo de ‘antigamente’, o novo mundo traz novos jovens, e com isso, uma nova forma de se educar. Durante o trabalho, abordamos temas como amor, fé e consumismo em tempos atuais”, destaca.

Rodrigo informa que esta é a primeira vez que a sociologia participa do prêmio, além disso, a votação popular, também é inédita.  “Ganhar esse prêmio é um sopro de esperança de que estamos no caminho certo, à sala de aula é desafiante, a sociedade está doente. Perante todos os ataques que os professores estão vivendo, descaso do governo, vê que aquilo que você faz, como rotina é uma boa prática e esta em destaque. A vitória é da escola pública, estamos servindo de exemplo”, explica, informando que o projeto  será publicado na Revista Nova Escola, onde outros professores terão oportunidade de conhecê-lo e servir de estímulo.

Rodrigo explica que foram trabalhados os comportamentos e valores da sociedade contemporânea e temas que afetam os jovens, como os amores e as redes sociais. “Utilizando uma metodologia híbrida de ensino – que pedia para lerem ou assistirem a conteúdos antes da aula – e tendo como parceira a professora de Língua Portuguesa, o professor dividiu as turmas em grupos que se dedicaram a estudar e debater temáticas derivadas do ponto gerador. Ao explicarem os tempos líquidos’ para toda a comunidade escolar, os estudantes optaram por estratégias interativas, como uma roleta de perguntas da fé, um teste para medir o nível de egoísmo e uma seleção de objetos para retratar o consumismo. Manifestos verbais e não-verbais (charges, memes e tirinhas) completaram a exposição”, relembra.

A coautora do projeto, Gleiciane Vinote, explica que os alunos foram divididos em estações com atividades práticas baseadas em cada ema proposto. “A escola pública tem o seu valor e oferta educação de qualidade. É preciso acreditar, o aluno têm potencial, precisam ser desenvolvidos”, destaca.

PARTICIPAÇÃO DE CINCO MIL PROFESSORES

Além de Rodrigo, outros nove educadores que desenvolveram experiências pedagógicas de destaque nas escolas em que trabalham foram escolhidos entre quase cinco mil inscritos pela Academia de Selecionadores. A Academia é formada por grandes especialistas em didáticas específicas, pesquisadores das principais universidades do país, orientadores de graduação e pós-graduação, além de formadores de gestores e de professores em suas respectivas disciplinas. Os vencedores são dos estados de Espírito Santo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Roraima, Santa Catarina e São Paulo. Dos 10 projetos campeões, quatro são trabalhos realizados com alunos do Ensino Fundamental I (sendo um também EJA), três com turmas do Ensino Médio, dois de gestão e outro com o Ensino Fundamental II. As disciplinas são variadas, indo de Educação Física à Matemática.

Sobre o Prêmio Educador Nota 10

O Prêmio Educador Nota 10 foi criado em 1998 pela Fundação Victor Civita que, desde 2014, realiza a premiação em parceria com Abril, Globo e Fundação Roberto Marinho. Reconhece e valoriza professores da Educação Infantil ao Ensino Médio e também coordenadores pedagógicos e gestores escolares de escolas públicas e privadas de todo o país. O Prêmio tem o apoio da Nova Escola, Instituto Rodrigo Mendes e Unicef, e o patrocínio da Fundação Lemann e SOMOS Educação. Desde 2018, o Prêmio Educador Nota 10 é associado ao Global Teacher Prize, prêmio global de Educação.

 

 

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !