Produtores rurais comemoram boa fase

0

BARRA MANSA

Quinze toneladas diárias. Essa é a produção de leguminosas produzidas no distrito Santa Rita de Cássia. Através de um eficiente mapa de planejamento, a colheita tem sido bem aproveitada: tudo que é colhido é vendido em 100% para as cidades da região.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Produtores Rurais, Adilson Rezende, este foi um ano tranquilo para a categoria. “A chuva veio na hora certa, quando iríamos começar a nos preocupar, ela caiu. Através de cursos ministrados pelo sindicato, os produtores aprenderam a planejar a plantação e administrar a colheita. Aprenderam a usar corretamente a água e a controlar o uso de defensivos, gerando uma melhor produção. As pessoas estão focando na qualidade de vida, melhorando a alimentação, a tendência é melhorar ainda mais. Quem está se organizando e profissionalizando está crescendo”, destaca Rezende.

Ao todo, são 104 produtores de Barra Mansa, Volta Redonda, Quatis, Resende e Piraí cadastrados na associação. “Qualquer supermercado seja grande ou o pequeno comercializa uma verdura vinda de Santa Rita, que é onde está a maioria dos produtores. São todos focados na agricultura familiar”, destaca, acrescentando que Santa Rita é o segundo maior polo de produtores rurais do Estado, perdendo, apenas, para a região Serrana.

Outro fator para a boa colheita dos produtores é o uso consciente da água. Foi feito um estudo onde as nascentes foram identificadas e protegidas. “Nós explicamos a importância que é economizar a água e realizar a manutenção periódica dos reservatórios, além de priorizar o sistema de irrigação. Está em nossa lista de prioridades, a seca não nos prejudicou por conta desses fatores”, aponta Adilson.

Nutrientes, água e luz

Os três fatores são primordiais para uma boa plantação. “Trabalhar o solo com os nutrientes, controlar a luz e a água é a receita básica da produção, são as boas práticas da agricultura. Uma boa apresentação visual na banca também conta para boas vendas, por isso explicamos que o manejo correto para colheita e armazenamento, vão dar bons resultados”, citou.

O principal problema para os produtores tem sido a política de troca e as promoções, lançadas pelos supermercados. “Os supermercados só pagam pelas verduras vendidas, o que for troca, já não paga. Já para fazer as promoções eles mantêm a margem de lucro deles e querem um produto mais barato”, reclama o presidente.