Primeiro dia do retorno das flexibilizações é marcado com grande movimento na Amaral Peixoto

1

VOLTA REDONDA

O tráfego de pessoas e veículos voltou a ser grande em Volta Redonda no primeiro dia do retorno das flexibilizações das atividades econômicas. O A VOZ DA CIDADE percorreu o município e observou que o maior movimento se concentrou na Avenida Amaral Peixoto, onde as filas para entrar nas lojas foram longas. Na Vila Santa Cecília o movimento foi menor, contudo, os grandes estabelecimentos com pagamentos de carnês, também registraram filas. Em uma das entradas da cidade, na Via Sérgio Braga, a fila de veículos também foi extensa.

Na Vila Santa Cecília os shoppings Pontual e Sider também registraram filas, onde as pessoas passavam pelo monitoramento de verificação de temperatura para entrar nos estabelecimentos, contudo, no início da tarde, não havia aglomerações. Já na Amaral Peixoto, o movimento foi maior, tendo alguns pontos aglomerados.

No Cinturão de Segurança, criado nos acessos a Volta Redonda, continua sendo proibida a entrada de moradores de outras cidades. A fiscalização vem sendo feita desde o dia 20 de março e desde então já realizou mais de 330 mil abordagens a veículos. Motoristas que comprovarem residência em Volta Redonda podem acessar a cidade normalmente.

Desde o início do fechamento das vias, mais de nove mil veículos precisaram retornar durante as abordagens. Esse bloqueio nas entradas do município é determinado pelo Decreto Municipal 16.147, que proíbe o acesso de carros, motos, táxis e transporte por aplicativo vindos de outros municípios.

Segundo o prefeito Samuca Silva, para que o comércio permaneça aberto e ainda evitar a propagação da Covid-19, estão sendo distribuídas máscaras e a população está sendo orientada. “O bloqueio nas entradas da cidade faz parte dessas ações que visam proteger os cidadãos de nossa cidade. Temos que reduzir ao máximo a circulação do vírus e garantir o atendimento em nossa rede de saúde”, explicou.

Para que as atividades econômicas do município continuem funcionando, os eixos de monitoramento, acordados com a Justiça e o Ministério Público (MP), devem estar dentro das metas. São eles: o número de casos suspeitos não poderá aumentar em 5% por dois dias seguidos; A ocupação de leitos no CTI não ultrapassar 50%. A ocupação de leitos no Hospital de Campanha não ultrapassar 60%; O grupo de risco permanecer em isolamento social; Uso de máscara obrigatório nas ruas; Além de manter a proibição de qualquer tipo de aglomeração.

1 comentário

  1. A Amaral Peixoto está um formigueiro. Filas enormes, familias inteiras entrando nas lojas, pessoas passeando sem qualquer necessidade de resolver nada (claro que não são todas), lojas lotadas, ruas lotadas. Se isso não é aglomeração eu não sei o que é. Sinceramente não entendi até agora a reabertura num momento tão delicado como esse, e pedindo que “não se façam aglomerações”. Sendo que o comércio em geral é aglomeração!

error: Conteúdo protegido !