Primeiro dia de Exame Nacional do Ensino Médio movimenta escolas do país

0

BRASÍLIA/SUL FLUMINENSE

Até às 9 horas de ontem, primeiro dia do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2017, 84% dos participantes já tinham acessado seu Cartão de Confirmação da Inscrição, que informa o local da prova. Os treineiros, aqueles que fazem a prova apenas para autoavaliação, têm a maior taxa de acesso: dos 523.415 estudantes nessa condição, 94% conferiram seu local de prova. Em todo o Brasil, mais de 6,7 milhões de candidatos se inscreveram para a prova, que acontece em 1.725 municípios. No Sul Fluminense, estima-se que 50 mil estudantes tenham feito as provas.

Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pela prova, a menor porcentagem de acesso é entre os ausentes na última edição – participantes que faltaram ao Enem 2016 e se inscreveram novamente no Enem 2017. Dos 499.958 participantes nessa condição, a porcentagem de acesso é de 78%.

Os candidatos que fizeram o Enem tiveram de meio-dia até às 13 horas para entrar no local das provas.

Ontem foram realizadas as provas de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias [Língua Portuguesa, Literatura, Língua Estrangeira, Artes, Educação Física e Tecnologias da Informação e Comunicação], Ciências Humanas e suas Tecnologias [História, Geografia, Filosofia e Sociologia] e Redação. A prova tiveram duração tem cinco horas e meia.

A grande novidade deste ano foi que as provas são personalizadas com o nome e o número de inscrição do participante e a declaração de comparecimento passa a ser impressa pelo participante. Basta entrar na Página do Participante, fazer download da declaração, uma para cada domingo, imprimir e colher a assinatura do coordenador do local de prova no dia da aplicação das provas. Também haverá, na edição deste ano, detectores de ponto eletrônico, para localizar a emissão de sinais por celulares, wi-fi, Bluetooth e transmissões ilegais.

No próximo domingo (12) será realizada a segunda prova do Enem, com provas na áreas de ciências da natureza e suas tecnologias [química, física e biologia] e matemática e suas tecnologias.

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) avalia o desempenho escolar e acadêmico ao final do Ensino Médio. O exame é realizado todos os anos pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e pelo Ministério da Educação. A partir deste ano, o Enem deixa de certificar o Ensino Médio, função que voltou para o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja).

TEMA DA REDAÇÃO

O tema da redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deste ano é Desafios para Formação Educacional de Surdos no Brasil.  Pela primeira vez, o Enem terá videoprovas em Linguagem Brasileira de Sinais (Libras). A prova em Libras é um recurso que facilita a realização do exame para surdos e pessoas com deficiência auditiva que, por terem sido alfabetizados na linguagem dos sinais, têm mais dificuldade para realizar provas escritas.

Na Videoprova Traduzida em Libras, as questões e as opções de respostas são apresentadas em Língua Brasileira de Sinais por meio de um vídeo. O recurso terá o mesmo número, ordem e valor de questões da prova regular, além da garantia de qualidade e normas de segurança máxima de todas as provas do Enem. Só não serão integralmente traduzidas para Libras as questões de Língua Estrangeira Moderna. Nessas questões, somente os trechos originalmente em português serão traduzidos para Libras.

O tema da redação deste ano segue a tendência das últimas edições do Enem, que costuma abordar temas sociais. No ano passado, o tema foi Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil. Violência contra a mulher, publicidade infantil, lei seca e movimento imigratório também foram abordados nos últimos anos.

GABARITO

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgará o gabarito oficial do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no dia 16 de novembro. A correção é feita usando a metodologia da Teoria de Resposta ao Item (TRI), em que o valor de cada questão varia conforme o percentual de acertos e erros dos estudantes naquele item.

Dessa forma, um item em que grande número dos candidatos acertaram a resposta será considerado fácil e, por essa razão, valerá menos pontos. Já o estudante que acertar uma questão com alto índice de erros ganhará mais pontos por aquele item.

Por isso, não é possível calcular a nota final apenas contabilizando o número de erros e acertos em cada uma das provas. Se dois candidatos acertam o mesmo número de questões, não significa que terão a mesma pontuação. O estudante só tem como saber a nota final no Enem quando o resultado sair.

error: Conteúdo protegido !