Presidente da Câmara de Vereadores de Volta Redonda diz que vice-presidente do Conselho do Saae-VR usa água de forma irregular

0

Grande parte da sessão da última quinta-feira, 2, da Câmara de Vereadores de Volta Redonda, teve como assunto principal um suposto benefício que o empresário Mauro Campos vem recebendo de uma funcionária do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano (IPPU). A servidora foi acusada de atrapalhar o desenvolvimento das ações de pessoas que querem o crescimento da cidade e de trabalhar apenas em prol do empresário. A discussão começou com as declarações do presidente do Legislativo, vereador Whashington Granato (PTC), de que o grande beneficiado com essa ação é o empresário, que é também vice-presidente do Conselho do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae-VR). Ele foi acusado ainda de roubar água do Saae para seus empreendimentos.

Segundo declarou o presidente, enquanto pessoas preocupadas com o desenvolvimento da cidade esperam meses para a conclusão de um processo no IPPU, Mauro Campos não espera duas semanas para conseguir uma documentação que duraria até sete meses para ficar pronta. “Essa senhora arruma muitos problemas no IPPU, que a lei não consegue funcionar. Primeiro que ela não conhece a coisa pública, não sabe o que está fazendo ali. Ultrapassa o limite do tolerável e só atende os interesses do patrão dela, que é um latifundiário nessa cidade e que não merece nosso respeito, pois o mesmo estava roubando água no Saae, mesmo sendo vice-presidente do Conselho do Saae ”, disparou Granato, se referindo a Mauro Campos. Lembrou que ele não tem credibilidade de fazer parte do conselho.

O parlamentar informou ainda que já está com a documentação do conselho, pois quer que Mauro Campos seja denunciado. Lembrou que a Casa tem que tomar as providências. Disse que o prefeito parece estar começando acordar para algumas coisas, pois viu que a cidade precisa andar. “Precisa de desenvolvimento e essas pessoas estão travancando tudo, pelo interesse de meia dúzia. De pessoas que não têm comprometimento com a cidade. Essa é a grande verdade. Nós vereadores temos que tomar as providências. O que já estamos fazendo. Estamos mexendo com o Plano Diretor, apurando a falcatrua com os postos de gasolina, o problema do Minha Casa, Minha Vida que foi uma covardia que fizeram. Vamos passar Volta Redonda a limpo para vivermos com responsabilidade”, relatou o presidente.

ÁGUA NO NOVO EMPREENDIMENTO

O vereador Carlinhos Santana (SD) também falou. Disse que há poucos dias passou pela Rodovia do Contorno e viu o novo empreendimento. “Eu perguntei como a água vai chegar lá. Quem vai pagara isso? Indagou, lembrando que é um absurdo, pois custou para conseguir água para dez moradias de um núcleo de posse, mas somente com o empenho e boa vontade do diretor do Saae foi possível. Santana disse que está disposto também a apurar tudo o que está acontecendo em relação ao empresário e a irregularidade da água envolvendo o empresário. Granato respondeu que o Saae não tem R$ 2 milhões para atender empresários ricos e quem quiser água para empreendimentos que faça canalização.

O também vereador, Francisco Novaes, foi outro que criticou a ação da diretora do IPPU a favor de Mauro Campos e a atitude ele em relação à água do Saae. Declarou que está junto com o presidente para qualquer providencia, pois não pode aceitar tal situação. No caso da funcionária do IPPU, disse que quando pega um processo do empresário vai a todos os setores até conseguir a liberação do mesmo em pouco tempo e para outras pessoas não tem o mesmo empenho. Para completar, Granato informou que na segunda-feira, 6, estará recebendo denúncias sobre o caso para somar

as precauções e motivos para levar adiante ou até criar uma Comissão de Inquérito para apurar as denuncias contra o empresário sobre ouso irregular do Saae em seus empreendimentos.  Disse ainda que Volta Redonda não consegue alinhavar o crescimento na área da construção civil por causa de pessoas que não têm comprometimento com a cidade.

Por meio da Secretaria de Comunicação da Prefeitura, a reportagem do A VOZ DA CIDADE tentou falar com a tal funcionária citada pelos vereadores, na semana passada, mas até o fechamento desta nota ninguém na secretaria sabia quem ela é e muito menos o que faz no IPPU.

MAURO CAMPOS RESPONDE ÀS ACUSAÇÕES

Procurado pela reportagem do A VOZ DA CIDADE para falar sobre as acusações, o empresário Mauro Campos, alegou que quem está fazendo tais acusações não está sabendo que depois do shopping novo, seu gripo é i maior o segundo maior investidor de Volta Redonda e grande criador de empregos e impostos. Lembrou ainda que é ainda o grande criador dos projeto popular Minha Casa, Minha Vida 1 e 2 e que nos últimos anos investiu na cidade mais de R$ 100 milhões. Promete ainda trazer para os cinco anos próximos mais R$ 100 milhões.

Mauro Campos fez questão de frisar que seu grupo está no grau de aprovação como agente financeiro pelo Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal (CEF). “Temos um compromisso de altíssimo nível com Volta Redonda. Somos empresários com vários empreendimentos. Não dependemos de emprego público. Recebemos vários convites para entrarmos na política, mas não é o nosso negócio. Somos empresários. Estamos pensando na qualidade de vida da população oferecendo emprego”, declarou.

CRIAÇÃO DE EMPREGO

Campos ressaltou ainda que cada um fala o que quer e que seu propósito é trabalhar para o desenvolvimento da cidade com a criação de emprego. Disse que quem não tem propósito critica aqueles que realmente lutam para construir a cidade. “Não tem ninguém que me favorece. Ao contrário, tenho várias reclamações contra o governo, pois ao invés de apoiar habitações populares de boa qualidade sem problemas para não existir favelas prefere investir nas invasões. Prefiro não lastimar condutas e afirmações de pessoas que querem criar factóides. Época de eleição tem dessas coisas. As pessoas querem aparecer na mídia e ficam inventando coisas”, disparou.

O empresário ressaltou que não recebeu reclamação de nenhum vereador. “Sempre tive acesso às sessões da Câmara. Hoje não tenho muito tempo, mas poderiam me procurar antes de fazer alguma afirmação. Ano de eleição é assim mesmo. Na verdade, quem fala isso não sabe o número de empregos que criamos para a cidade. Na verdade, no governo anterior as pessoas denunciavam os esquemas e ninguém fazia nada. Agora que o serviço está sendo produzido, as pessoas se sentem incomodadas. Pobreza de espírito, mas se os vereadores quiserem uma explicação eu estou a disposição, mesmo não tendo obrigação de explicar nada”, completou, lembrando que o que incomoda é que em plena a crise ele consegue  investimento de mais de R$80 milhões para Volta Redonda. “Não tenho empregado nenhum no IPPU. Tem pessoas que trabalham pelo cumprimento da lei, mas antes era o jeitinho. Não dá para entender essas pessoas que usam a tribuna para acusar pessoas do bem”, concluiu.

error: Conteúdo protegido !