Prefeito informa obras do pátio de manobras que começarão ainda neste ano em Barra Mansa

1

 BARRA MANSA

Uma apresentação para entidades empresarias e autoridades do município foi feita pelo prefeito Rodrigo Drable (PSC) na noite de segunda-feira, 12, na sede da Associação Comercial, Industrial, Agropastoril e Prestadora de Serviços (Aciap) a respeito do andamento das obras de readequação rodoviária, o conhecido pátio de manobras. Ele informou sobre a verba de R$ 15 milhões dentro do Orçamento da União que será empenhada em setembro e as obras licitadas no mês de outubro para parte da obra. Segundo ele, a verba será necessária para término da construção do viaduto na altura da Saint Gobain, alargamento e asfaltamento da Eduardo Junqueira até a Ponte dos Arcos. Depois disso, uma segunda etapa está sendo planejada.

O prefeito lembrou todo o histórico da obra do pátio de manobras que já está há sete anos parada por conta das casas que precisam ser derrubadas. Dezessete estão sendo construídas no antigo Campo do Ferroviário e a previsão é que em novembro sejam entregues. Após isso as casas serão demolidas, a linha do trem realocada e a etapa seguinte será concluída com o valor de R$ 15 milhões. O prefeito lembrou que inicialmente a verba era de R$ 19 milhões, emenda da bancada dos deputados federais do Rio de Janeiro para obra de Barra Mansa, porém, o valor foi contingenciado pelo governo federal e ficou em R$ 15 milhões.

“Vai ser suficiente para fazer toda a obra do pátio? Não, mas vai ajudar muito no nó da cidade porque boa parte do tráfego será desviado para nova via. A previsão do Dnit é concluir essa primeira etapa até o mês de julho do ano que vem. E temos um compromisso da bancada do Rio de Janeiro de que se conseguirmos empenhar essa verba neste ano, nos darão mais R$ 19 milhões no orçamento de 2020”, contou o prefeito. De acordo com ele, as intervenções seguintes planejadas seriam nas vias remanescentes de quem vem de Volta Redonda – na Avenida Dr. Dario Aragão até na Rua José Marcelo de Camargo. Nesses pontos, o prefeito estima a abertura de 1,5 mil novas vagas de estacionamento. As linhas atuais estão espalhadas em cerca de 40 metros, com a mudança, vão ser agrupadas em 18 metros de largura. Além disso, nesse segundo pleito estarão as obras das passarelas – um total de três: no campo ferroviário, na altura da Praça da Liberdade, e na prefeitura.

PASSAGENS DE NÍVEIS

O prefeito Rodrigo Drable disse ainda que as passagens de níveis não serão fechadas e que em partes das vias muros separarão a linha ferroviária da parte urbana. “As passarelas até ajudarão, mas as passagens de níveis são necessárias pelo modo de vida do barra-mansense. A ruptura seria muito abrupta. O que não podemos perder é a execução dos recursos e, por isso, vamos aguardar o início da licitação pelo Dnit. É bom deixar claro que quem vai licitar e se encarregar de tudo é o Dnit. Nós vamos auxiliar. São 90 anos de trabalho de muitas pessoas”, afirmou o prefeito, deixando com os integrantes da Aciap a cópia do projeto elaborado pelo Dnit.

Entrega do projeto a Aciap – Fábio Guimas

O presidente da Aciap, Bruno Paciello falou da importância de receberem as plantas. “Pela primeira vez temos acesso ao trabalho de forma transparente. Juntos vamos nos empenhar para que todo o planejamento aconteça, pois essas obras são muito importante para a mobilidade e o desenvolvimento do nosso município”, disse Paciello. O mesmo foi reafirmado pelo presidente do Conselho de Desenvolvimento Econômico de Barra Mansa (Codec-BM), Arivaldo Corrêa Mattos. “Planos que contribuam para o desenvolvimento do município são demandas conjuntas do Codec e Aciap. Sempre apoiamos todo o processo, mas nunca tivemos acesso ao projeto. É importante tomarmos conhecimento porque temos a preocupação de dar continuidade a bons projetos, que fazem a diferença na vida da população e do comércio local”, pontuou Arivaldo.

PROJETO REVOGAR-SE

A segunda pauta trabalhada no encontro com entidades foi apresentação do projeto Revogaço, iniciativa do Movimento Brasil Livre (MBL), que visa desburocratizar a máquina pública. A ação já tinha sido apresentada ao prefeito e o ofício foi entregue a ele pelo coordenador do MBL Barra Mansa, Davi de Melo Oliveira.  Ele contou que a ação seria para averiguar leis e decretos desde a democratização, em 1988, mas o prefeito pediu que fosse feito nos 72 anos de história da cidade. “Não terá custo e a ideia é que sejam usados alunos de Direito para fazer essas análises e repassar ao Executivo”, contou, frisando que o projeto já foi apresentado nacionalmente e Barra Mansa pode ser a pioneira na realização.

Será montada uma comissão para começar a analisar as 4.595 leis municipais existentes em Barra Mansa. Drable deu um exemplo de como essa ação pode modificar a realidade das pessoas. Citou uma lei que existia no passado e que foi alterada por conta de outra proposta pelo vereador Gilson de Assis Lopes (PSDB). A lei determinava que só poderia ser instalado hidrômetro em casa, onde a pessoa comprovasse a propriedade. Agora, basta apresentar CPF para instalar água. “Barra Mansa chegou a 74% de perda na água, hoje conseguimos ter índice de 46%. Ainda é alarmante, mas o índice nacional é 34% de perda porque as pessoas não deixam de ter água. Fazem gato”, citou.

PRESENTES

Entre as autoridades presentes na reunião estiveram: o presidente da OAB BM, Aloízio Perez; os secretários municipais de Desenvolvimento Econômico, de Fazenda, de Governo e de Planejamento, Agnaldo Sebastião Raymundo, Leonardo Ramos de Oliveira, Alexandre Martins e Eros dos Santos, respectivamente; o superintendente da Susesp, Marcus Barros; os vereadores Thiago Valério, Marcell Castro, Daniel Volpe Maciel, Luis Antônio Cardoso, Wellington Pires, Gilson de Assis Lopes, Mauro Luiz Sabino e José Renato de Oliveira; além de diretores da Aciap, Sicomércio, Codec e CDL.

1 comentário

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !