Prefeito eleito de Volta Redonda diz que vai pedir suspensão da intervenção no Hospital São João Batista

0

VOLTA REDONDA

Durante entrevista de rádio nesta quarta-feira, dia 30, o prefeito eleito Antonio Francisco Neto (DEM) declarou que irá solicitar a Justiça a suspensão de intervenção no Hospital São João Batista (HSJB). A intervenção, que foi decretada no dia 19 de novembro, terá duração de 180 dias.

Neto solicita no pedido a ser encaminhado ao juiz da 5ª Vara Cível, Alexandre Custodio Pontual, responsável por ordenar a medida, que a intervenção seja interrompida já a partir da próxima segunda-feira, dia 4 de janeiro. A intervenção foi determinada pelo juiz devido aos sérios problemas enfrentados na unidade hospitalar que vinha sendo administrado pela Associação Filantrópica Nova Esperança (AFNE). No período, a situação precária do hospital chegou a refletir muito no atendimento não só a população de Volta Redonda, mas de toda a Região Sul Fluminense. O contrato chegou a ser interrompido pelo prefeito, Samuca Silva, depois que nome da O.S. foi envolvido em suspeitas de desvios de recursos da saúde no Estado.

NETO QUER VER O HOSPITAL VOLTAR A FUNCIONAR

A expectativa de Neto é que Sebastião Faria, o vice-prefeito eleito, assuma a administração da unidade hospitalar que já foi referência na Região Sul Fluminense no atendimento. Neto espera que, com Faria assumindo a administração da unidade, possa fazer o hospital voltar a funcionar normalmente, já que se encontra em situação delicada.

Na entrevista Antonio Francisco Neto falou ainda sobre o funcionamento do comércio local na pandemia. Garantiu que na primeira semana de janeiro de 2021 irá editar um decreto voltado para bares e restaurantes. “Esses estabelecimentos poderão funcionar até 24 horas, mas com forte fiscalização da Guarda Municipal para cumprimento das medidas sanitárias, entre elas o uso de álcool 70, máscaras, aferição de temperatura e, principalmente o  distanciamento social”, declarou Neto na entrevista, concluindo que, o não cumprimento irá resultar em advertência, multa e até o fechamento do estabelecimento.