Prefeito de Quatis determina que equipes permaneçam de prontidão para ações na zona rural

0

QUATIS        

Os alunos da educação infantil da Escola Municipal Irmã Elizabete Alves, que se localiza na comunidade quilombola de Santana, na zona rural de Quatis, ficaram sem aula no dia de ontem, pela segunda vez consecutiva. Consequência dos transtornos causados pelas chuvas que caíram na cidade a partir das tarde de quarta-feira, dia 7. Ainda durante o dia de ontem, devido à possibilidade de novas pancadas de chuva durante o fim de semana, o prefeito Bruno de Souza (MDB) determinou à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural que mantenha equipes de prontidão para atender possíveis chamadas de emergência na zona rural da cidade. A preocupação maior da prefeitura é com relação as estradas rurais, devido à atividade de produção agropecuária.

Segundo o secretário de Desenvolvimento Rural, João Cezar Salazar da Mata, “o esquema de prontidão deixará pelo menos 25 trabalhadores da Secretaria de sobreaviso visando socorrer as chamadas de urgência. Os servidores de prontidão vão trabalhar com o auxílio de seis máquinas retroescavadeiras e três caminhões”. No fim de semana, as chamadas de emergência poderão ser feitas através do telefone 99985-7253 ou diretamente junto aos administradores distritais de São Joaquim e Falcão. Outra alternativa de contato é o telefone do batalhão da Guarda Municipal: 3353-6266.

A grande quantidade de barro acumulada na estrada de acesso à comunidade quilombola de Santana impediu a chegada do ônibus que levava os professores à Escola Irmã Elizabete Alves no começo da manhã. Além disso, estudantes residentes em Santana, mas matriculados em outras fases do ensino fundamental, nas escolas da área urbana do Município, também não estão conseguindo chegar às respectivas unidades de ensino por causa dos estragos causados na estrada entre Quatis e Santana.

O prefeito frisou que a administração vem trabalhando desde a manhã de quinta-feira na assistência às quatro estradas afetadas pelas chuvas desta semana: Quatis-Santana, do Pinheiro (região de Joaquim Leite), do Ézinho (região de Falcão) e Quatis-Glicério. A recuperação dos trechos mais afetados vem sendo feita com a colocação de escória. Apesar dos transtornos, os caminhões responsáveis pelo transporte da produção leiteira continuam circulando até as cooperativas da região.

MAIS CHUVA

De acordo com o Instituto Climatempo, há possibilidades de pancadas de chuvas no final da tarde e durante à noite de ontem, e neste sábado e domingo, dias 10 e 11 de novembro, em Quatis. A previsão do instituto para o município foi atualizada às 15h05min de sexta-feira, em Brasília.

Prefeitura de Volta Redonda garante estar pronta para o período de chuvas

Mesmo não tendo registrado grandes temporais, a Prefeitura de Volta Redonda afirma que está pronta para enfrentar o período de chuvas. Ao A VOZ DA CIDADE, o Governo Municipal informou que investiu em obras de contenções e limpeza nos bairros para minimizar os riscos para população nesse período. Além disso, foi decretado o período de alerta no município do dia 1º deste mês a 31 de março de 2019.

Durante esse período, toda estrutura da prefeitura ficara de sobreaviso caso ocorra algum desastre. A garantia da Defesa Civil é de que não houve, até o momento, ocorrências graves na cidade, apenas quedas de arvores e algumas pequenas inundações em alguns pontos da cidade. Na quarta-feira, muitas ruas ficaram alagadas e a rede pluvial de algumas localidades não foi suficiente para escoar a água que se misturou à das redes de esgoto. Foi o que ocorreu na Rua Marina Godoy, no bairro Voldac. Os moradores e comerciantes da localidade fizeram um apelo para a prefeitura para que o problema seja solucionado.

A Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil (COMPDEC) de Volta Redonda, depois de iniciar o período de alerta no município, estará ligada para todas as chamadas. Segundo o coordenador Municipal de Proteção e Defesa Civil, Leandro Rezende, esse período de alerta é decretado para que toda a estrutura municipal fique ciente e preparada para atender eventuais ocorrências. “Também serve para que a população tenha conhecimento e, em uma iminência de desastre, abandone o local, vá para um local seguro, levando apenas documentos e medicamentos, além de ligar para o 199, que é o número da Defesa Civil”, explicou Leandro Rezende.

Ainda de acordo com o coordenador, a Defesa Civil trabalha com quatro equipes de plantão para vistorias. “São duas durante o dia e outras duas à noite. Durante o período de alerta, a equipe plantonista de folga ficará de sobreaviso”, informou.