Preço da gasolina sofre reajuste na refinaria e preocupa consumidor

0

SUL FLUMINENSE

Os consumidores do Sul Fluminense estão receosos com o possível aumento do litro da gasolina nos postos com repasse após entrar em vigor nesta quarta-feira, dia 13, o reajuste determinado pela Petrobras para as refinarias que integram a cadeia de fornecimento. O litro da gasolina para distribuidoras saltou de R$ 1,7542 para R$ 1,770 – reajuste de 0,90%, o segundo consecutivo praticado neste mês. O temor dos proprietários de veículos é pertinente, afinal, esse é o preço mais alto da gasolina registrado desde novembro de 2018. A gasolina acumula alta de 17,4% em 2019.

O reajuste para as refinarias gera reflexo na cadeia de distribuição até o consumidor final. “O valor do litro da gasolina é elaborado sobre impostos como o PIS/Cofins e a Cide, valor de distribuição e revenda, além do etanol anidro e ICMS. Acredito que a exemplo de outros reajustes realizados o valor final suba em torno de R$ 0,50. Vamos tentar adiar o tempo que for viável e depois seguir o mercado”, comenta Samuel Benedito, gerente de um posto em Resende.

A Petrobras adota desde julho de 2017 a nova política de reajustes com mudanças frequentes acompanhando o reflexo dos preços do barril do petróleo no mercado internacional e a cotação do dólar. “O consumidor precisa compreender que segundo os cálculos feitos pela própria Petrobras, os valores praticados nas refinarias  equivalem a 29% do preço pago por eles nos postos”, comenta a economista Eliane Barbosa.

Além dos 29% do valor do litro da gasolina referente ao praticado nas refinarias, o combustível tem acrescido ainda no seu valor final mais 48% de tributos: 31% correspondem ao Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), recolhido pelos estados, e 17% são relativos à Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) e ao PIS/Cofins, de competência da União. “O PIS/Cofins e a Cide são valores fixados por litro, com valores médios de R$ 0,7925 e R$ 0,10, respectivamente. Já o ICMS varia de acordo com o que é praticado nos postos”, comenta a economista. Para atingir os 100%, restam 13% do etanol anidro, que, segundo a lei, deve compor 27% da gasolina comum.  Os últimos 10%, por sua vez, são relativos aos custos e ao lucro de distribuidores e postos.

PREÇO DA GASOLINA NO SUL FLUMINENSE

O consumidor deve acompanhar as pesquisas de preços elaboradas pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). A análise mais recente divulgada pela agência ocorreu entre os dias 24 de fevereiro e 2 de março.  “Temos que ficar atentos, quem aguenta pagar esse preço de gasolina? Eu penso que a gasolina deveria ter preço fixo e justo em todo o país, independente de imposto estadual. Pagar quase R$ 5 o litro é um absurdo”, comenta o motorista de aplicativo, Arnaldo Maia, de Barra Mansa que roda com combustíveis alternativos para amenizar os gastos mensais. “Só de combustível gasto em média R$ 400 e a gasolina pesa demais”, frisa.

Os preços nos postos de todo o país são monitorados pela ANP por meio de pesquisas semanais. Os resultados podem ser consultados no site www.anp.gov.br. Na análise de preços mais recente realizada em Barra Mansa, a ANP vistoriou 13 postos de combustíveis sendo cinco com bandeira branca e outros de bandeiras Ipiranga, Petrobrás, AleSat e Raízen. Os estabelecimentos verificados ficam nos bairros Ano Bom (2), Saudade, Bocaininha, Barbará, Vila Nova (2), Jardim Boa Vista, Vila Ursulino, Boa Vista I e Centro (3). O preço médio encontrado é de R$ 4,821/litro, sendo o mínimo de R$ 4,599 e o máximo de R$ 4,899.

A pesquisa de preços da ANP revela os valores praticados em sete cidades da região desde o mês de fevereiro

Na cidade de Resende foram 11 postos verificados pela ANP, contabilizando um de bandeira branca e outros de bandeiras Petrobrás, AleSat, Raízen e Ipiranga. Os postos ficam nos bairros Paraíso (2), Fazenda da Barra, Jardim Jalisco (2), Manejo (2), Campos Elíseos, Cidade Alegria e Centro (2). O valor médio da gasolina é de R$ 4,775/l. O mais caro é R$ 4,94/l e o mais em conta R$ 4,55/l.

E, em Volta Redonda, foram oito postos pesquisados sendo um de bandeira Branca e outros de bandeiras Ipiranga e Raízen. Os estabelecimentos estão situados nos bairros São Lucas, Aterrado, Ponte Alta, Retiro, Niterói, Vila Mury e Vila Santa Cecília. O litro da gasolina custa em média R$ 4,829, sendo o mais barato por R$ 4,599/l e o mais caro R$ 4,999/l.

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !