Poluição em Volta Redonda foi tema de Audiência Pública na Câmara dos Deputados

0

VOLTA REDONDA/BRASÍLIA
A poluição em Volta Redonda, causada pelo ‘pó preto’ da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), poluente sedimentável de micropartículas de ferro emitido no ar, foi tema da Audiência Pública realizada na terça-feira, dia 9, na Câmara dos Deputados, em Brasília. A audiência foi solicitada pelo deputado Glauber Braga (Psol-RJ), que é presidente da da Comissão de Legislação Participativa da Câmara dos Deputados, a pedido do Movimento Sul Fluminense Contra a Poluição.
Participaram da audiência, da base de Volta Redonda, representantes do Movimento Sul Fluminense Contra a Poluição, da Federação das Associações de Moradores de Volta Redonda (FAM-VR), do Movimento Pela Ética na Política (MEP) e do Comitê de Bacia do Médio Paraíba. Foram as quatro representações da Cidade do Aço ligadas a segmentos sociais que participaram da mesa. A informação é de que o presidente do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), Renato Jordão, foi convidado, mas não compareceu e nem mandou representante.
SEGUNDO MUNICÍPIO COM MAIOR POTENCIAL POLUIDOR
Durante a audiência, o deputado Glauber Braga lembrou que Volta Redonda é o segundo município do Estado do Rio de Janeiro com maior potencial poluidor, mesmo sendo territorialmente um dos menores. Informou também que, em julho do ano passado, a Companhia, diante de movimentações na cidade contra o alto índice de poluição emitida pela empresa, entrou na Justiça pedindo punições a militantes sociais e trabalhadores que participassem do ato. “A mineradora processa um militante por sua atuação enquanto cidadão defensor do meio ambiente e da saúde da população contra qualquer tipo de poluição”, criticou o parlamentar, lembrando que quer discutir possíveis soluções para o problema junto ao poder público e sociedade civil.
Outro que participou da audiência foi o também deputado federal Lindbergh Farias (PT). Ele fez duro discurso chamando atenção sobre a poluição provocada pela CSN em Volta Redonda e região. “É inaceitável submeter a população aos graves impactos à saúde, sem falar dos graves problemas ambientais e de causados pela contaminação. Medidas urgentes são necessárias para proteger a população e o meio ambiente”, declarou o parlamentar, lembrando que a situação da cidade é desesperadora.
PROBLEMA DO BRASIL
O deputado lembrou ainda, que esse é um problema nacional e não só da região. “Por isso, é muito importante que a ministras do Meio Ambiente, Marina Silva, compareça a Volta Redonda”, disse. Lembrou que foi muito boa e proveitosa a conversa que teve com a ministra em um encontro no dia 2 de agosto do ano passado, juntamente com o vereador Raone Ferreira de Volta Redonda, que entregou a ela um relatório completo. “Ela mesma entendeu que sua presença na região será necessária, pois cria um impacto político e isso força algum tipo de negociação”, completou o deputado. Disse ainda que a idéia é fazer com que a ministra da Saúde, Nísia Trindade, também visite a região em busca de soluções, pois a situação é de saúde.
O conselheiro do MEP, José Maria da Silva, que na audiência falou em nome do Movimento, destacou que como resultado positivo desta audiência, foi uma proposta feita pelos conselheiros de fazer com que a Câmara Federal fiscalize a CSN no cumprimento das leis e normas relacionadas às questões ambientais na cidade. Informou ainda que, para isso, o deputado Glauber afirmou como uma das decisões da audiência, de já para a semana, uma reunião dele e alguns deputados com a ministra do Meio Ambiente e Mudança do Clima, Marina Silva, e também com a ministra da Saúde Nísia Trindade. “Reunião, essa que nós propusemos em nome do MEP para que seja feito levantamento de dados sobre os impactos da poluição na saúde dos habitantes de Volta Redonda, via Ministério do Meio Ambiente”, concluiu.

 

Deixe um Comentário