Polícia segue investigando esquema de manipulação de resultados e desvio de dinheiro do Barra Mansa FC

0

O esquema de manipulação de resultados foi divulgado pela primeira vez em março deste ano através de uma reportagem do Esporte Espetacular (EE), exibido aos domingos, pela Rede Globo. Na ocasião, a reportagem mostrou como funcionava o esquema de apostas em sites pela internet e movimentava o mundo das apostas, e a ‘combinação’ de resultados envolvendo uma máfia internacional. E um dos clubes envolvidos no esquema é o Barra Mansa Futebol Clube, o Leão do Sul, que está na Terceira Divisão do Campeonato Carioca. Ontem, o programa voltou a tocar no assunto, revelando outras artimanhas do grupo que agia dentro do Barra Mansa Futebol Clube. Na reportagem, foi mostrada a operação que aconteceu na última quinta-feira, quando o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio do Grupo de Atuação Especializada do Desporto e Defesa do Torcedor (Gaedest/MPRJ) e da Promotoria de Investigação Penal de Barra Mansa, em conjunto com a Delegacia do Consumidor (Decon), realizaram operação para cumprir mandados de busca e apreensão contra os acusados. As buscas aconteceram em Barra Mansa e Volta Redonda, onde carros foram apreendidos.

De acordo com a denúncia, foi apurado que a quadrilha formada por Andrinho, Lincoln e Ezequia receberia entre R$ 35 mil e R$ 150 mil por resultado manipulado. Foi o que revelou o promotor do Gaedest/MPRJ, Luiz Antônio Ayres, ao Esporte Espetacular. “Eles trabalham juntos, para efetivamente, conseguirem estes resultados que eram de interesse, muito provavelmente, pelo que constam nos autos, de interesse da máfia internacional de apostas e manipulação de resultados”, disse o promotor.

Na edição de ontem do programa dominical, foi revelado, que a polícia descobriu que além de, participarem da manipulação de resultado, os dirigentes do Barra Mansa, Anderson Martins Florentino, o Andrinho, atual presidente Ezequia de Oliveira, o Oliveira, proprietário da empresa Agesport consultoria Esportiva, supostamente, também desviaram dinheiro do clube.

Desvio de dinheiro do Leão do Sul

A reportagem cita ainda, outro crime cometido pelo presidente do Leão do Sul, Anderson Florentino, o Andrinho. Foi descoberto que ele desviou dinheiro que o clube teria direito a receber pelo ‘mecanismo de solidariedade’ da Fifa, como clube formador do lateral Dalbert. No ano passado, o atleta trocou o Nice, da França, pela Inter de Milão, na Itália, por R$ 94 milhões. Nesse caso, o Leão do Sul teria direito a receber quase R$ 1,2 milhão. E no acordo, ficou acertado que o clube italiano pagaria o valor em duas parcelas. No entanto, um mês antes de cair a primeira parcela do acordo, as investigações apontaram que, Anderson Florentino, abriu um conta bancária em uma agência na Zona Oeste do Rio para receber este dinheiro. Mas, os investigadores descobriram que, o Conselho Fiscal do Barra Mansa, nunca ficou sabendo da conta aberta na Capital. Segundo a reportagem, o dirigente foi orientado pelo advogado Tiago Coelho Anselmo, conforme áudio revelado pela reportagem, que tem um escritório de advocacia com Luciana Lopes, filha do presidente da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj), Rubens Lopes. A reportagem do GE teve acesso aos documentos que comprovaram a transferência de €126.900,00 (euros), que no valor do câmbio da época correspondeu a R$ 513 mil. Sendo que R$ 343 mil, Andrinho transferiu para sua conta pessoal.

O promotor disse que neste caso há o crime de ‘apropriação indébita’ e que resulta no aumento da pena, justamente pelo fato dele ser presidente do clube e agindo com ‘conduta criminosa’, que viola seu direito de ofício de zelar pelas finanças do clube.

Na distribuição do valor transferido para sua conta pessoal, Andrinho repassou R$ 100 mil para Tiago Coelho, que corresponde a 20% do valor recebido. Ainda do valor transferido para sua conta pessoal, Andrinho pagou uma divida de cerca de R$ 70 mil, que o clube tinha com a Ferj e cerca de R$ 30 mil foi destinado para Ezequia de Oliveira.

A equipe de reportagem do A VOZ DA CIDADE, tentou sem sucesso contato com Anderson Florentino e Ezequia de Oliveira.

O Ministério Público do Estado do Rio informou que as investigações continuam.

Lateral Dalbert lamenta desvio de dinheiro

Ainda ontem, o lateral esquerdo Dalbert, da Inter de Milão, se manifestou ao saber, por meio de uma denúncia do programa Esporte Espetacular, da Rede Globo, que parte da comissão paga por sua atual equipe ao Barra Mansa, havia sido desviada pelo presidente da equipe e outros dirigentes. “É lamentável. O Barra Mansa foi o primeiro clube profissional do Brasil e hoje é notícia por fatos ruins. É pão com mortadela como refeição, manipulação de resultados e desvio de dinheiro. Quando o clube tem a chance de respirar um pouco, financeiramente, podendo investir nas categorias de base, indivíduos como estes, que pensam somente no próprio umbigo, sufocam ainda mais a instituição. Provada a culpa, espero que cumpram a pena bem longe do futebol e da sociedade e que o dinheiro retorne aos cofres do Barra Mansa”, desabafou Dalbert.

Ainda falando sobre o episodio, o jogador pediu mais atenção às entidades do futebol, para que os clubes estejam preparados, não somente em documentações e certidões, para receber verba do mecanismo de solidariedade. “O Barra Mansa me abriu as portas, mas não diria que o clube que leva o nome da cidade que nasci, pela incompetência dos dirigentes atuais e anteriores, é merecedor de receber qualquer ajuda financeira. Quando joguei lá, não dispunha nem da estrutura básica, que seria alojamento digno, alimentação e material para treinamento. Saí com salários atrasados, que não recebi até hoje, e muito triste. E isso não se resume a mim. Falo por conta de outras dezenas de jogadores, que não tiveram a mesma sorte na carreira. Torço para que a Fifa, talvez até por uma fiscalização da CBF, reveja seus critérios em relação a isso, para evitar que surjam mais dirigentes corruptos e para tornar os clubes, de fato, formadores de novos talentos”, completou o lateral brasileiro.

Nota esclarecimento de Lincoln Aguiar

Na noite de ontem, Lincoln Aguiar entrou em contato com a equipe do A VOZ DA CIDADE e enviou nota de esclarecimento que está sendo publicada na integra.

“Venho por meio desde comunicado ofertar minha Nota de Esclarecimentos na seguinte forma: Diante dos fatos apontados pela investigação, e sobre o áudio que envolve uma conversa minha dentro do escritório com 2 (dois) atletas, esclareço que o áudio foi editado em um período de Eleição do Clube, de uma conversa informal, sem minha autorização, fato que já está sendo analisado pelas autoridades. Esclareço, que meus advogados ainda estão analisando a Denúncia. Mas, de antemão, reitero a minha inocência, negando qualquer envolvimento na suposta acusação , que será comprovada no final da Denúncia, pois sempre que solicitado atendi prontamente as autoridades competentes para melhor elucidação dos fatos”. A nota é assinada pelo advogado: Dr. Estevão Nunes Baesso – 147.634 OAB/RJ em conjunto: Lincoln Aguiar.

A reportagem completa exibida pelo programa Esporte Espetacular poderá ser acessada no endereço: https://globoplay.globo.com/v/7054622/.

A reportagem completa exibida pelo programa Esporte Espetacular poderá ser acessada no endereço: https://globoplay.globo.com/v/7054622/.