Polícia Federal deflagra megaoperação de combate ao tráfico de drogas

1

Foram deflagradas na manhã de terça-feira, dia 16, ontem, em Volta Reonda e em outras duas cidades da região, pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), as operações ‘Sideros’ e ‘Confinados’. As ações, realizadas em parceria com a Polícia Federal, a Corregedoria e a Coordenadoria de Inteligência da Polícia Militar do Estado do Rio e o 28º Batalhão da Polícia Militar (BPM), tiveram como finalidade o cumprimento de 100 mandados de prisão e 191 mandados de busca e apreensão. O objetivo foi desbaratar uma organização criminosa que atuava no município, Itatiaia e em Resende. O esquema, segundo o MPRJ, tinha o envolvimento de 32 policiais militares lotados no 28º BPM.

Presos foram levados para sede da PF no bairro Aterrado – Foto: Fábio Guimas

No final da manhã, representantes do MP, da PF e PM concederam entrevista coletiva na sede do MP, no Aterrado, para a divulgação dos dados das ações. Segundo informações, 88 pessoas foram presas. Entre elas 25 policiais militares, dos 32 envolvidos. Com isso, sete já são considerados foragidos. Segundo informou o comandante do 28º BPM, Veras, assim que o processo for concluído todos os policiais envolvidos serão excluídos. Lembrou que um deles, já é ex-PM, pois já havia sido excluído por outra questão, os outros, ou estão viajando em férias ou de folga, mas em breve serão presos. Segundo o comandante, os PMs são acusados de associação criminosa armada, corrupção, tráfico de drogas, roubo, entre outros crimes, pelo envolvimento com traficantes em troca da permissão para o comércio de drogas em Volta Redonda, Itatiaia e em Resende.

APREENSÕES DE DROGAS E ARMAS

O promotor do MP, Fabiano de Oliveira, declarou que ao longo das investigações, foram realizadas apreensões de armas e drogas, além de interceptações telefônicas que revelaram que os grupos desempenham ações ilícitas graças à facilidade obtida pelos PMS lotados no 28º BPM. Disse ainda o promotor que, em contrapartida, os policiais recebiam dinheiro fruto do comércio que eles deveriam coibir no dia a dia. Contou também que, além da venda de drogas sem repressão, o PMs e os traficantes teriam outros combinados que resultavam em novos desdobramentos, entre eles a indicação para voto em político de interesse do tráfico e homicídios.

Contou o promotor que, durante as investigações, foi descoberto que uma candidata de Resende tinha sido indicada por um traficante de dentro do presídio. “A ordem era de que os traficantes deveriam fazer com que as pessoas votassem em tal candidata para que ela vencesse a eleição. Só que ela não conseguiu se eleger”, declarou o promotor.

O Chefe da Delegacia de Polícia Federal de Volta Redonda, Pedro Paulo Simão da Rocha, que também participou da coletiva, disse que a operações foram deflagradas a partir de sete denúncias apresentadas pelo MPRJ, que envolvem os 32 PMs, 57 traficantes de Volta Redonda, com atuação em diferentes graus de hierarquia, dando origem à Operação ‘Síderos’, e 13 traficantes das cidades de Itatiaia e Resende, que originou na  Operação ‘Confinados’. Explicou ainda que as investigações foram iniciadas a partir de elementos coletados na fase final da denominada Operação Camará, deflagrada pela PF no segundo semestre de 2017, também no combate a crimes ligados ao tráfico de entorpecentes. Os dados indicaram a existência de ramificações da quadrilha investigada no município de Resende e na capital fluminense.

VALORES CHAMADO CAIXINHA

Apurou-se que os investigados remetiam valores da chamada “caixinha” para o município de Resende, onde é baseada a liderança Sul Fluminense de um grupo criminoso que operava vinculado à importante facção criminosa de tráfico de drogas e de armas no Estado do Rio de Janeiro. No decorrer das investigações, a PF verificou que o alcance territorial da atuação do grupo incluía diversos bairros de Resende estendendo-se para os bairros Divisa, Belmonte, Jardim Belmonte, Retiro, Água Limpa e Siderlândia, em Volta Redonda.

Ainda de acordo com denúncias feitas ao MPRJ, um traficante reclama que os policiais estão “chatos”, pois teriam encostado duas viaturas, interditaram uma via pública e parado carros. Os PMs teriam questionado os traficantes sobre o comércio de entorpecentes na região e apreenderam as drogas. Logo em seguida, os mesmos policiais devolveram o material, já que da venda da carga dependeria o pagamento de R$ 1,5 mil dos próprios PMs, como havia negociado. O promotor Fabiano Oliveira lembrou que, em outra parte da denúncia, um traficante lamentou pela carga que ele transportava e que foi apreendida. Em seguida, o PM cobrou dele R$ 5 mil para liberar o material. Foi informado ainda na coletiva que drogas, armas e munições foram apreendidas durante as ações em Volta Redonda, Itatiaia e Resende. Durante as ações, os presos foram levados para a Delegacia de Polícia Federal de Volta Redonda, no Aterrado. No inicio da Tarde, todos foram transferidos para o Rio de Janeiro.

Participam das ações 310 policiais federais, 38 agentes da Corregedoria e a Coordenadoria de Inteligência da PM e cerca de 300 policiais militares.

Dois presos, dinheiro venezuelano, drogas e caderno de anotações apreendidos em Resende e Itatiaia

Os policiais encontraram 472,5 mil bolívares, moeda venezuelana – Foto: Divulgação

Policiais do 37º BPM participaram também da Operação Confinados em Resende e Itatiaia. Na operação foram apreendidos pela PM, em uma residência na Rua Rita Novelino, na Vila Pinheiro, em Itatiaia, 549 pinos de cocaína, sendo 129 pinos pequenos e 420 pinos grande de R$ 50, um tablete e 65 trouxinhas de maconha, um cinto de guarnição com coldre e cantil, anotações de contabilidade de venda de drogas e pequenos papéis com informação do valor de entorpecentes. Os policiais também prenderam dois homens de acordo com o mandado de prisão. Em um imóvel na Rua Alegria, na Vila Pinheiro, foi preso Natan Ferreira, 21 anos e no Campo Alegre, foi detido Felipe Morais de Paula, mais conhecido como Mazola, 27 anos. Todo o material apreendido e os presos foram apresentados na 99ª Delegacia de Polícia (DP) de Itatiaia.

Em Resende, os militares apreenderam a quantia de apreenderam 472,5 mil bolívares, cerca de R$ 30 mil. O dinheiro estava em uma casa na Rua Cinco quando os policiais foram para cumprir um mandado de prisão de uma mulher, cujo nome está sendo mantido em sigilo, e que não estava no local na hora à apreensão. Todo o dinheiro apreendido foi apresentado na 89ª Delegacia Legal de Polícia Civil de Resende.

Deixe um Comentário

error: Conteúdo protegido !