Polícia Civil prende mulher suspeita de participar da morte do companheiro em Itatiaia

0

ITATIAIA

Agentes da 99ª Delegacia de Polícia Civil (DP) coordenados pelo delegado titular, Vicente Maximiliano Barbosa, prenderam no final da tarde de terça-feira, dia 17, uma mulher, de 38 anos. A dona de casa é suspeita de participação da morte de seu companheiro, o trabalhador rural, Gonçalo Soares Barbosa, mais conhecido como “Vermelhinho”, de 67 anos. O primo da suspeita, um homem, de 49 anos, é suspeito do crime. Ele está foragido.

Os agentes cumpriram o mandado de prisão preventiva, expedido pelo Juízo da Vara Única da Comarca de Itatiaia. “Após levantamento do Setor de Inteligência recebemos a informação de que a procurada iria fazer um procedimento odontológico no Centro Odontológico Municipal, no bairro Campo Alegre. Nossa equipe conseguiu prender a suspeita no momento que ela deixada o local”, informou Barbosa.

De acordo com o Grupo de Investigações Criminais (GIC), Gonçalo Soares Barbosa foi assassinado entre o período de 27 e 28 de março. O crime foi descoberto após uma denúncia anônima para a Delegacia dando conta de que o corpo do trabalhador rural teria sido enterrado em uma área nas proximidades da lagoa do bairro Vila Maia. “Fomos no local e após escavações, não encontramos o cadáver. Após várias diligências, encontramos a suspeita na casa de familiares no bairro Nova Conquista. Em depoimento, a mulher acabou confessando a participação no crime e mostrou o local onde havia enterrado, com a ajuda o primo, o corpo do trabalhador rural”, explicou um policial. A mulher relatou aos policiais que “Vermelhinho” teria sido morto após uma discussão. “A suspeita disse o crime teria ocorrido de domingo para segunda-feira, após uma discussão, seu primo teria ficado revoltado e, com a ajuda de um fio, enforcou a vítima. Em seguida, a dupla enterrou o corpo. A mulher buscou abrigo na casa de familiares, enquanto seu primo fugiu para o interior de São Paulo, onde morava. O cadáver só foi encontrado na quinta-feira, três dias após o crime”, informou.

Segundo a Polícia Civil, a mulher ainda revelou que morava com o trabalhador rural há anos e que ele seria violento e ciumento. “A suspeita disse que o companheiro a agredia constantemente. Devido a diferença de idade, a mulher afirmou que ele tinha ciúmes e não a deixava sair. Tanto, que era constantemente agredida pela vítima. Além disso, para manter a mulher em casa, a vítima, segundo a mulher, comprava pedras de crack e a entregava”, revelou o policial.

A dona de casa e seu primo, foram autuados por homicídio e ocultação de cadáver. A Polícia Civil está à procura do outro suspeito do crime. Na tarde desta quarta-feira, dia 18, a suspeita foi apresentada na Cadeia Pública de Volta Redonda para audiência de custódia.