Polícia Civil deflagra a Operação Paradise na região

1

SUL FLUMINENSE
Acontece hoje em Barra Mansa, Volta Redonda e Resende a Operação Paradise, desencadeada para o cumprimento de 108 mandados de prisão. Até a publicação desta nota, cerca de 43 pessoas já haviam sido presas.
Coordenada pelo delegado titular da 90ª Delegacia de Polícia (DP) de Barra Mansa, Ronaldo Aparecido, a operação tem concentração no Parque da Cidade e contou com a participação da equipe do 28° Batalhão da Polícia Militar (BPM), agentes da Guarda Municipal e de mais de 250 policiais civis da região e da capital.
Segundo Ronaldo, com base em investigações em conjunto com o Ministério Público, realizada há cerca de quatro meses, a operação visa desarticular uma associação criminosa atuante no tráfico de drogas na região Sul Fluminense.

Às 9h15min, o delegado deu uma coletiva à imprensa no Parque da Cidade, informando que mais prisões devem ocorrer ao longo do dia.

Ao A VOZ DA CIDADE, a autoridade policial explicou que o trabalho teve início por volta das 4 horas de hoje e ainda não tem previsão de término. “Já prendemos 43 pessoas, entre elas nove mulheres. Foram apreendidos veículos e armas e a equipe irá se reunir para a contabilização do material”, disse Ronaldo, que não confirmou ainda se teve apreensão de drogas nas diligências. Ele também disse que será apresentado um balanço de quantos presos foram capturados em cada cidade. “Entre os cumprimentos dos 43 mandados hoje, 26 deles já estavam presos e acumularam o crime em suas penas”, completou.

Presos foram encaminhados para o Parque da Cidade – Fábio Guimas

DELEGADO EXPLICA AÇÃO

“Nos próximos meses teremos cumprimentos de mais mandados. Temos todo um viés da apuração de lavagem de dinheiro. A delegacia vem trabalhando. Essa é a nossa missão. Temos contatado com um apoio muito forte do Governo do Estado, que valoriza o trabalho da Polícia Civil”, disse Ronaldo, lembrando que tal reconhecimento não poderia ser diferente. “Com um estado democrático forte, tem que ter uma polícia investigativa forte e é esse o viés e postura do governo, fortalecendo o nosso trabalho, que é investigar e apurar crimes”, lembrou Brito.

O delegado ressaltou que o crime é dinâmico, não é estático. “Temos todo envolvimento de pessoas de várias cidades. Esse fluxo de drogas ele é decorrente dos estados, São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. E a gente sempre acaba desencadeando algumas operações nas cidades vizinhas”, contou.

Sobre os presos, Ronaldo destacou que eles pegaram a maioria das lideranças, mas que no decorrer das investigações, outros foram capturados. “É muito positivo a ação da Polícia Civil, nas investigações, no que se refere ao grande número de autores identificados. Por isso temos que parabenizar toda a equipe da 90ª DP, que muitas vezes abdicam de suas vidas particulares para poder dar essa resposta e cumprir com perfeição suas missões”, lembrou Ronaldo.

INVESTIGAÇÃO

Ele conta que a apuração teve início de uma investigação tendo como ponto chave um traficante do Paraíso de Cima, em Barra Mansa. Depois de alguns meses, completa, culminou na identificação de uma associação criminosa voltada para o tráfico de drogas que atuava em toda região Sul Fluminense. “Uma facção violenta, por tradição, com 108 integrantes. Hoje, cumpridos 43, alguns já presos”, disse, explicando que deste número, o maior número de alvos foi em Barra Mansa, onde foram 53 no total. “O maior número de presos também foi em Barra Mansa”, garantiu o policial, lembrando que a operação contou com a PM e GM, que sempre os apoiam. “Foram 250 policiais civis empenhados nessa ação e 83 equipes. Contamos com o apoio das delegacias especializadas (da capital e interior). Sempre que precisa, conseguimos nos mobilizar para atender as necessidades sociais”, assegurou.

O NÚMERO DE USUÁRIO ELEVA O NÚMERO DO TRÁFICO

Sobre o impacto da operação, Ronaldo lembrou que uma investigação de tráfico é rotineira, já que existe um alto consumo de drogas. “Sempre que tivermos esse volume, teremos um elevado número de traficantes. A questão é que a sociedade tem que passar a discutir exatamente isso. A quantidade de usuários que temos eleva esse número absurdo de pessoas, jovens, adultos, envolvidos com a traficância. Todos os dias nos deparamos com homicídios relacionados ao tráfico. Noventa por cento desses crimes têm envolvimento com a disputa e espaço para a venda de drogas. Enfim, a sociedade brasileira tem que repensar sim o que queremos para o nosso futuro”, constatou o delegado.

 

1 comentário

  1. Mario Luiz de Souza Em

    Acredito na força das polícias Civil, pois, a PM do Rio de Janeiro tem que acabar, ou serem constituídas por comandantes pertencentes as forças armadas militares, pois, muitos dos que estão no comando da PM, são safados e corruptos desclassificados e ainda, bandidos vestidos com fardas, para mim muitos deles não honram sua farda e nem sequer respeitam suas famílias e seus semelhantes, confio no novo governo federal irá prover a estabilidade do povo brasileiro, irá retirar também, intervindo no congresso Nacional e banir esses vagabundos corruptos que nós elegemos como deputados ,senadores ,a hora deles estão por vir, tudo a seu tempo. BOLSONARO SIM.

Deixe um Comentário

error: Conteúdo protegido !