PM mantém operações em Barra Mansa para evitar migração e pede ajuda da população

1

BARRA MANSA

A Polícia Civil confirmou na manhã de hoje que quatro dos 12 suspeitos detidos na tarde de segunda-feira, dia 27, pelos agentes da 2ª Cia. do 28° Batalhão da Polícia Militar, permanecem presos. Três homens e uma mulher foram indiciados por tráfico de drogas e associação ao crime, além de porte ilegal de arma de fogo. O A VOZ DA CIDADE conversou com o capitão da 2ª Cia, Alcimar Videira, sobre uma possível migração devido a onda de violência no litoral. Ele garantiu que está sendo feito um reforço no policiamento e que é importante que a população ajude no trabalho da polícia, denunciando e informando qualquer anormalidade em seu bairro ou na sua rua.

Segundo registro da 90ª Delegacia de Polícia, todos os apreendidos são oriundos da Lambicada, em Angra dos Reis. Na ocasião, sete mulheres foram detidas, três delas com crianças de colo, e cinco rapazes. Segundo informações, um gerente do tráfico do bairro da Costa Verde teria alugado imóveis na outra cidade para os suspeitos ficarem, já que estariam fugindo das operações para controlar a criminalidade no litoral; que registra desde o dia 18 deste mês, confrontos entre facções criminosas pela disputa pelo tráfico.

A Polícia Militar afirma que não abrirá qualquer tipo de brecha que permita esse tipo de migração para Barra Mansa e lembra que uma eventual chacina foi impedida – já que o grupo de Angra, pertencente ao Terceiro Comando Puro (TCP) estaria dentro de áreas hoje ‘tomadas’ pelo Comando Vermelho (CV), como forma de ‘tomar’ o comércio ilícito. “Nosso trabalho continua. Nós contamos com um setor de inteligência que monitora diariamente qualquer tentativa de migração de pessoas a margem da lei para região, em especial vindo de Angra dos Reis”, informou o capitão da 2ª Cia., completando: “A integração entre os comandos locais pertencentes ao 5° Comando de Policiamento de Área (CPA) – Volta Redonda (28°BPM), Resende (37°BPM), Barra do Piraí (10°BPM) e Angra dos Reis (33°BPM), estão trocando informações sobre a movimentação de traficantes em suas respectivas áreas e suas intenções”, disse Videira.

O capitão explica que neste primeiro semestre, o 28° BPM ficou em 6° colocado em todo Estado do Rio de Janeiro em números de prisões. Ele conta que foram 775 presos, 144 armas (entre elas armas, dois fuzis, seis granadas) e 190 quilos de drogas. “A participação da população em denunciar e a credibilidade que a mesma tem com a PMERJ faz o sucesso do Batalhão do Aço. Nosso tenente-coronel do 28° BPM, Júlio César Veras, estimula a sua tropa a todo momento enfatizando que por sermos moradores da área de trabalho, somos clientes dos nossos serviços, não podendo esmorecer jamais”, finalizou o coronel Videira, pedindo que a população contribua com informações por meio do 190 ou do telefone (24) 3322-9450.

PRISÃO

Policiais da 2ª Cia., com auxilio da Polícia Civil, detiveram 12 suspeitos de tráfico de drogas em três bairros de Barra Mansa (Vila Nova, Vista Alegre e Bocaininha), oriundos de Angra. Segundo informações da PM, os agentes, começaram uma investigação baseada em denúncia anônima de que supostos traficantes estariam migrando há cerca de uma semana para Barra Mansa. Foram apreendidos cerca de um quilo de cocaína armazenados em dois sacos, mais de três mil pinos vazios para embalar drogas, 379 sacolés do mesmo pó de R$ 20, quatro rádios transmissores (três Samsung e um Boafeng), oito baterias de rádio, duas bases de carregador, uma pistola Glock 40 (numeração suprimida), duas munições de 9mm e 16 de .40, e um cinto de guarnição com coldre (de uso militar). “As drogas estavam, inclusive, sem descrição. Foi uma forma de não chamar atenção dos traficantes daqui”, disse a PM.