Pedro Fernandes visita Madureira com Ciro Gomes

0

RIO

Em evento com o presidenciável Ciro Gomes no Rio, na segunda-feira, em Madureira, o candidato ao Governo do Rio Pedro Fernandes (PDT) anunciou novidades para a Segurança. Afirmou que a deputada estadual Martha Rocha será a pessoa responsável pela área, caso eleito. Ele também disse que metade do seu secretariado será composta por mulheres: “Minha campanha está pautada no respeito às mulheres e metade do meu secretariado será composto por elas. A delegada Martha Rocha, por exemplo, tem sensibilidade e firmeza suficientes para tomar conta da política de segurança”, anunciou Pedro Fernandes.

O candidato da Coligação Renovar para Mudar (PDT/PSB) falou ainda sobre a importância de mais essa visita do candidato Ciro Gomes ao Rio. “Estou muito feliz de trazer o Ciro em Madureira para conhecer o subúrbio do Rio e mostrar a ele a importância de investirmos nessas áreas. Assim como na Baixada Fluminense, é essencial promover a geração de emprego e implantar o programa do SPC. São regiões que foram impactadas diretamente pelo menor poder de compra da população, que está ‘negativado’.

Pedro Fernandes aproveitou para explicar suas principais propostas para a segurança pública e educação. Ele informou que de 2010 para cá caiu pela metade o orçamento da Educação, enquanto o da Segurança Publica dobrou. A consequência disso, segundo ele, é o aumento do índice de criminalidade. Por isso, enfatizou a importância de se investir em Segurança, sempre priorizando a Educação.

E foi justamente este tema que a professora Dilma dos Santos Ribeiro, de 65 anos, indicou como o mais importante do plano de governo de Pedro: “Eu, que já trabalhei em creche e dei aula, sei da importância da Educação e, por isso, o meu candidato é o Pedro Fernandes, por causa da sua proposta de ampliação do ensino em tempo integral. Eu aposto nisso como a chave do sucesso”, destacou Dilma, que é moradora de Costa Barros.

Em seu discurso, Ciro Gomes disse que “estamos agarrados na lida para tirar o Brasil do precipício”. “Desde 2014 ninguém em Brasília pensa os tormentos e os problemas do povo brasileiro. Só guerra, radicalismo, ódio e um destruindo o outro. E quem está pagando o preço dessa guerra, que tá rachando a nação brasileira, é a política. O Brasil hoje está com mais de 13 milhões de desempregados, 32 milhões estão vivendo de bico, correndo do rapa, 63 milhões estão com nome sujo no SPC. A consequência disso é a violência: 63.800 brasileiros foram assassinados. Quase todos jovens, negros, pobres e da periferia. E 60 mil mulheres foram estouradas no nosso Brasil. E a impunidade é o prêmio dessa barbárie e dessa selvageria, que está levando o Brasil para essa situação”, concluiu.

 

 

error: Conteúdo protegido !