Pedido de abertura de impeachment contra Rodrigo Drable é rejeitado pela Câmara

0

BARRA MANSA

A Câmara de Vereadores rejeitou na manhã de hoje , 24, o pedido de abertura de impeachment contra o prefeito Rodrigo Drable (DEM), que foi reeleito no dia 15. Dos 19 vereadores da casa, 14 estiveram presentes na sessão. Desses, nove parlamentares votaram pelo encerramento do processo contra o prefeito e cinco pela continuidade para análise da cassação. A comissão, presidida pelo vereador Gustavo de Almeida Gomes, tendo como membros a vereadora Maria Lucia e o vereador Daniel Volpe Maciel, alegou falta de provas.

O pedido para abertura do impeachment foi feito após prefeito Rodrigo Drable ser denunciado por um suposto esquema de compra de votos entre os vereadores para rejeitar o parecer prévio do TCE, contrário às contas do Executivo do ano de 2018.

O vereador Marcell Castro, que entrou com o pedido de impeachment, antes de dar seu voto, destacou o parágrafo 5º do Decreto 201/67, afirmando que, segundo seu entendimento, não deveria ser permitido a ele o direito de votação, uma vez que é o denunciante. “O denunciante fica impedido de votar sobre o julgamento da denúncia. Esse é meu entendimento, mas como a mesa diretora não entende assim, estou aqui cumprindo meu papel”, destacou, afirmando que seu entendimento é mesmo de quando abriu a denúncia. Ele foi um dos que votou a favor da continuidade do processo

Marcell ainda criticou a demora de mais de 20 dias para que o prefeito fosse notificado. “Enfim, o prefeito foi reeleito e esse foi o desejo da população. O meu papel é apoiar as coisas boas e fiscalizar. O meu pacto é com a população de Barra Mansa”, disse.

O vereador Gustavo Gomes, presidente da comissão disse que o trabalho foi feito de maneira justa e correta, sem atender a interesses pessoais de um lado ou de outro. O parlamentar disse ainda que foi solicitado ao judiciário que enviasse provas, que foi dado ainda a oportunidade de pronunciamento ao denunciante e ao denunciado. “Em relação ao processo, o réu nem foi condenado, como a comissão vai condenar sobre uma questão que ainda nem teve decisão? A comissão deu esse parecer”, finalizou.

error: Conteúdo protegido !