Parentes e amigos de mulher encontrada morta no bairro São Luiz acreditam em homicídio

0

BARRA MANSA

Com o objetivo de clamar por Justiça, familiares e amigos de Renata Aparecida Silva, de 34 anos, convidam a população e, principalmente as mulheres, para uma caminhada nesta quinta-feira, 15,. A concentração do ato será às 19 horas, na Rua Geraldo Honório de Resende, no bairro São Luiz, onde a vítima morava. Os familiares acreditam que a vítima foi assassinada, já que trabalhava, cuidava normalmente da filha, de 14 anos, e não era envolvida com drogas ou em outros problemas.

Segundo destacou a irmã da vítima, Cláudia Maria da Silva, o objetivo é mostrar a indignação de tantas mulheres da cidade e região sendo assassinadas ou agredidas e os criminosos andando soltos pelas ruas sem nenhuma punição. Destacou que o foi caso de sua irmã, mais uma vítima de feminicídio. Ela garante que Renata foi executada por alguém que hoje está solto, podendo daqui a pouco fazer novas vítimas. “Por isso, peço a todas as mulheres de Barra Mansa e região que tiveram vítimas na família ou também conhecidas que participem desse ato”, convidou Cláudia.

Cláudia solicitou ainda que as participantes coloquem blusa rosa ou branca para participarem da caminhada. “Venha conosco nessa luta. Faremos uma homenagem e oração para Renata Silva assassinada covardemente no bairro São Luiz”, solicitou. Ela lembrou ainda que a ideia é pedir às autoridades para que não deixem esse crime sem solução.

O CASO

O corpo de Renata Aparecida Silva foi encontrado na manhã do último dia 9, na Rua Geraldo Honório Resende, no São Luiz, em Barra Mansa, mesmo bairro onde morava, próximo a um viaduto. Ela estava parcialmente nua. O delegado titular da 90ª Delegacia de Polícia (DP), Ronaldo Aparecido de Brito, já instaurou inquérito para apurar o caso. O laudo da causa da morte destaca que o “falecimento ocorreu por edema pulmonar (por inalação de areia), hemorragia intracraniana por ação contundente”. Ronaldo foi procurado hoje pela equipe de reportagem do A VOZ DA CIDADE, mas não tinha se manifestado sobre o andamento das investigações até a publicação dessa matéria.

 

 

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !