Parecer final das obras da Igreja Matriz é apresentado à diocese

0

BARRA MANSA

O Conselho Municipal de Cultura realizou nessa manhã, 24, uma a reunião, no Palácio Barão de Guapy, com a Diocese Barra do Piraí-Volta Redonda, com o objetivo de apresentar o parecer final referente às obras da Igreja Matriz. Estiveram presentes cerca de 20 pessoas, entre elas o bispo Dom Francisco Biasin, que expressou satisfação com a decisão final apresentada. O parecer estabelece que o projeto de obra que foi apresentado, poderá ser realizado, desde que seja garantida a contemplação do painel.

Para o prosseguimento da reforma, o projeto inicial deve ser adaptado às exigências do parecer, e, por fim, a Secretaria Municipal de Planejamento Urbano dará o alvará para que a obra seja efetivada. De acordo com o presidente do conselho e secretário de Cultura, Marcelo Bravo, desde o início não era a intenção da igreja retirar o painel, mas deve ser garantida a contemplação dele. “O parecer não aprova e nem proíbe a construção de um novo painel a frente, porém, se ele for feito, tem que ser de uma forma que possibilite a contemplação do painel anterior”, disse.

Bravo ainda cita a possibilidade de um painel móvel que dará a oportunidade de expor o antigo. “Isso é uma interpretação para conseguir cumprir com o parecer. Pode ser uma lona ou uma cortina à frente do antigo painel, mas de alguma forma tem que garantir a contemplação dele, mesmo que eventualmente”, disse, completando que caso seja posta em prática a ideia de um painel móvel, será algo inédito.

Segundo o bispo Biasin, o parecer respeita as propostas deixando as possibilidades abertas, pois o projeto ainda está em elaboração. “O conselho agiu de forma competente e respeitosa, eu agradeço o trabalho que fizeram, interagindo com a opinião pública e com a proposta da igreja” afirma, contando que a intenção é realizar as obras o quanto antes. “O andamento da reforma agora depende apenas da aprovação dos órgãos competentes”, contou.

O bispo afirmou na reunião que gostou do resultado do parecer, porém existem algumas coisas que ainda devem ser definidas. “O parecer dá possibilidades de poder atuar, mas tem uma aplicação que tem que ser muito concreta, que é encontrar soluções para deixar o painel a vista e ao mesmo tempo realizar as obras”, disse.

REALIZAÇÃO DO TOMBAMENTO

Marcelo Bravo também falou sobre a realização do inventário de tombamento, que impedirá intervenções futuras na Igreja Matriz. Ele cita ainda uma minuta de lei, ainda não definitiva, para a regulamentação do programa de patrimônio e tombamento. “Isso ainda será analisado pelo conselho, encaminhado ao prefeito para que seja levada a câmara com a indicação de transformar em lei. Mas para realizar o inventário da igreja, será necessário aguardar que a reforma seja concluída, para depois especificar o que será tombado”, disse.

A relação de itens e bens indicados como patrimônios estão especificados na Lei n. 4.602/2016. Segundo Bravo, o que falta é determinar os detalhes e as formas de tombamento. Com o inventário, não poderão ser realizadas as intervenções futuras. “Já temos inventários avançados em Barra Mansa, principalmente de fazendas e da Igreja do Amparo, mas são inventários preparados pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (Inepac), e, a Igreja da Matriz tem condições de ter o primeiro inventário realizado pelo município” disse.

O ANDAMENTO

A comissão foi formada, dentro do Conselho Municipal de Cultura, para analisar a proposta das obras da Igreja Matriz, no dia 30 de novembro. Pouco antes de completar dois meses a comissão reuniu-se três vezes, realizou uma visita técnica no local da obra e ainda promoveu uma audiência pública, dia 19 de dezembro, no Plenário da Câmara Municipal, onde também ouviu a opinião da população. O fato foi observado pelo bispo Biasin. “O trabalho que o conselho realizou em menos de dois meses, demonstra amor à cidade e ao patrimônio”, disse.

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !