Parceria pode levar dois bilhões de doses da vacina contra Covid-19 a 165 países

0

NOVA IORQUE

A Organização Mundial da Saúde, OMS, anunciou que até o final do próximo ano, mais de 165 países poderão receber cerca de dois bilhões de doses de uma futura vacina contra a Covid-19.

Em comunicado, a agência da ONU revelou que a imunização será “segura, eficaz, certificada e pré-qualificada”, graças a um mecanismo de “rápido, justo e equitativo”, Covax. Pelo menos 75 países de renda alta informaram que devem aderir à Covax.

A parceria global é dirigida pela Aliança Internacional de Vacinas, Gavi, a OMS e a Coligação para Inovação em Preparação para Epidemias. Cerca de 90 países de renda baixa estão participando da iniciativa.

A cientista-chefe da OMS, Soumya Swaminathan, pediu a todos os países que apoiem a Covax  para que as metas de pôr fim à fase aguda da pandemia sejam alcançadas. Ele acredita que uma vacina acessível vai ajudar a resolver as desigualdades sistemáticas de saúde.

Em junho, Gavi lançou um instrumento de financiamento denominado Compromisso do Mercado Avançado para incentivar fabricantes a produzir quantidades suficientes de eventuais vacinas de Covid-19 para facilitar o acesso aos países em desenvolvimento.

Doadores

Dos dois bilhões preconizados, já foram levantados US$ 600 milhões junto a doadores e o setor privado. Até a data, os parceiros da iniciativa Covax conseguiram avanços com sete das nove vacinas que já estão em ensaio clínico.

O grupo acredita que a Covax pode ajudar a maximizar as chances de sucesso de uma futura imunização apoiando um portfólio vasto e diverso de candidatos à vacina contra a Covid-19.

Metas

A aspiração é ser capaz de vacinar os mais vulneráveis 20% da população de todos os países que participam, independentemente do nível de rendimento, até finais de 2021.

O diretor-executivo da Gavi, Seth Berkley, considera a Covax a única solução verdadeiramente global para a pandemia.

Os 2 bilhões de doses de vacina que o mecanismo propõe disponibilizar serão entregues ainda a todos os países participantes, proporcional a sua população, priorizando os trabalhadores de saúde e a 20% da população.

Doses adicionais vão ser disponibilizadas com base na necessidade do país, vulnerabilidade e tratamento. A instalação da Covax vai também manter doses em estoque para situações humanitárias e de emergência, inclusive para ajudar a controlar surtos severos.

Pré-requisitos 

A Covax é composta por representantes de todos os continentes e os 165 países envolvidos representam mais de 60% da população mundial e cerca de metade das economias do G-20, o grupo que reúne as 20 maiores economias do globo.

Vale realçar que os manifestos de interesse submetidos pelos países são não vinculativos e o sucesso dos esforços em curso estão ligados ao financiamento dos governos e o compromisso dos fabricantes em participar a uma escala vasta, o suficiente, para responder as necessidades globais.

A próxima etapa será uma consulta com os 90 países que serão apoiados através de doações humanitárias e os 75 países capazes de financiar a vacina com orçamento doméstico. Para garantir a admissão, será preciso fazer pagamento adiantado e comprometer-se em comprar doses até finais de agosto.

* Silas Avila Jr – Editor Internacional

error: Conteúdo protegido !